Seca: Barragem de Mirandela está a perder a pouca água que tem para regadio

O presidente da Associação de Beneficiários do Perímetro de Rega de Vale Madeiro, Emanuel Batista, disse hoje que a barragem de regadio do distrito de Bragança em situação mais crítica está a perder a pouca água que tem.

A barragem que rega as hortas e forragens para animais de perto de 200 beneficiários de Mirandela aproximou-se do limite das reservas no início do verão e foi incluída pelo Governo numa lista nacional com limitações para a campanha de rega.

A campanha da rega já terminou e o aproveitamento hidroagrícola está fechado há um mês, mas está a perder água e com um nível de armazenamento a rondar os nove por cento da capacidade.

“A barragem perde muita água, já fechámos (a rega) há cerca de um mês e continua a diminuir”, disse à Lusa o presidente da associação de beneficiários.

Segundo Emanuel Batista, o problema deve-se a “uma fuga no paredão” e a associação está “a fazer um levantamento” da situação para enviar um ofício à Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte.

O dirigente afirmou que “a situação não é nova” e que “há três ou quatro anos” que andam a alertar para ela, mas que “ninguém ligava porque nunca faltou a água”.

Agora com a seca, o problema tornou-se evidente e a perda de água é a prova para o presidente da associação de que “não são os regantes que estão a gastar muito”.

“Além da seca, este problema contribuiu e muito para a barragem ficar nestes níveis”, vincou.

Contactada pela Lusa, a diretora regional de Agricultura e Pescas do Norte, Carla Alves, disse desconhecer o problema em questão e que o que foi reportado a este organismo foi “uma avaria numa caixa de rega”, que está a ser resolvida entre a seguradora e a associação de regantes.

A diretora regional garantiu disponibilidade dos serviços para ajudar a resolver o problema, mas salientou que a associação de regantes ainda não lhe fez chegar “nenhuma indicação a esse nível”.

Carla Alves lembrou que “a direção regional faz com muita periodicidade e sempre que seja necessário obras para recuperação das estruturas destes regadios”, concretizando que estão em execução cinco empreitadas na zona Norte para a melhoria das condições destes aproveitamentos.

“Obviamente que a gestão é com a associação de regantes e eles têm que nos dar nota dos problemas que vão encontrando”, afirmou.

A barragem de Vale Madeiro tem cerca de 200 beneficiários, “90%” dos quais cultivam hortas familiares, sociais e de subsistência nas freguesias de Carvalhais e Mirandela, para consumo doméstico, mas também para vender no mercadinho local.

Os restantes são criadores de gado, nomeadamente de pequenos ruminantes, e “meia dúzia de explorações de gado bovino”, disse.

Recomendadas

Ministra da Agricultura: direções regionais não vão ser extintas

Maria do Céu Antunes esclareceu que as direções regionais de agricultura não vão ser extintas no âmbito da transferência de competências para as comissões de coordenação e desenvolvimento regional.

Agricultores acusam governo de matar as Direções Regionais de Agricultura e desmantelar o sector

CAP e CONFAGRI estão incrédulas com a decisão do Governo de extinguir as Direções Regionais de Agricultura e transferir as suas competências para as Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional. “É uma medida abusiva, absurda, antidemocrática e inaceitável”, afirma a histórica estrutura liderada por Eduardo Oliveira e Sousa.

Grupo Terras & Terroir compra Herdade da Rocha no Crato

Depois do Douro, do Dão e da Bairrada, os donos da Quinta da Pacheca estendem a sua influência à região vitivinícola do Alentejo.
Comentários