Seca: Medidas de apoio aos agricultores vão ser tomadas ainda por este Governo

As medidas de maior urgência, como as de combate à seca, não vão ter de aguardar pela tomada de posse do novo Governo sendo decididas pelo atual, que está “em plenitude de funções”, disse hoje a ministra da Presidência.

As medidas de maior urgência, como as de combate à seca, não vão ter de aguardar pela tomada de posse do novo Governo sendo decididas pelo atual, que está “em plenitude de funções”, disse hoje a ministra da Presidência.

Questionada sobre o impacto da repetição das eleições no círculo da Europa e consequente adiamento da tomada de posse do Governo na aprovação de medidas como a linha de crédito de apoio aos agricultores devido à seca, a ministra Mariana Vieira da Silva precisou que “obviamente que o adiamento da tomada de posse do Governo significa que algumas medidas de maior urgência que poderiam aguardar três ou quatro dias até à tomada de posse deixam de poder aguardar”.

Neste contexto, precisou, “o Governo está em plenas funções e não deixará de tomar as medidas que se revelem essenciais, por exemplo as medidas de combate à seca que não podem esperar as semanas que faltam para a tomada de posse do Governo”.

Em resposta à Lusa, o Ministério da Agricultura adiantou, em 11 de fevereiro, que o Governo está a preparar uma linha de crédito à tesouraria e apoio aos custos com a eletricidade no setor agrícola e pecuário para mitigar o impacto da seca.

Estas medidas de apoio ao setor agrícola serão implementadas “assim que o novo Governo tome posse”, precisou, então, o ministério tutelado por Maria do Céu Antunes.

“O Ministério da Agricultura está a preparar os documentos legislativos necessários para que, assim que o novo Governo tome posse, sejam implementadas as seguintes medidas acordadas com o setor: disponibilização de uma linha de crédito garantida para apoio a encargos de tesouraria e regulamentação do estabelecido na lei n.º 37/2021, de 15 de junho (eletricidade verde), para apoio aos custos com a eletricidade no setor agrícola e pecuário”, adiantou.

Esta terça-feira, dia 15 de fevereiro, o Tribunal Constitucional decretou a repetição das eleições no círculo da Europa, o que atira a tomada de posse do Parlamento e do governo para abril, bastante depois do que estava previsto.

Recomendadas

PremiumCOP27: economia fica sempre à frente dos interesses do planeta

A guerra, a inflação, os preços das energias tornaram a opção pela produção sustentável um luxo a que as economias não se podem dar. A guerra das Nações Unidas terá de ficar para mais tarde.

Pelo menos 238 mil pessoas morreram devido à poluição do ar em 2020, revela relatório

A poluição do ar provocou a morte de, pelo menos, 238 mil pessoas na União Europeia (UE), em 2020, mais do que no ano anterior, segundo um relatório da Agência Europeia do Ambiente (EEA, na sigla em inglês), hoje divulgado.

Negociadores chegam a acordo sobre fundo climático na COP27

A revelação foi feita pelo ministro do Ambiente das Maldivas, este sábado, 19 de novembro Sharm El-Sheikh, Egito, no Egito. “Há um acordo sobre perdas e danos”, afirmou Aminath Shauna à Associated Press.
Comentários