Secretário de Estado dos EUA felicita João Lourenço pela reeleição como presidente de Angola

Mensagem de Antony Bliken foi divulgada um dia depois de o Tribunal Constitucional de Angola ter rejeitado os recursos da UNITA e CASA-CE e validado os resultados das eleições gerais de 24 de agosto divulgados pela Comissão Nacional Eleitoral, que deram a vitória ao MPLA, com maioria absoluta.

O secretário de Estado dos Estados Unidos da América (EUA), Antony Bliken, felicitou esta-sexta-feira, 9 de setembro, João Lourenço pela reeleição como presidente de Angola, depois de o Tribunal Constitucional angolano ter validado os resultados das eleições que deram a maioria absoluta ao MPLA.

“Felicitamos o presidente eleito João Lourenço pela sua eleição como próximo presidente de Angola. Esperamos trabalhar com ele para fortalecer a relação vital entre Angola e os Estados Unidos”, afirma Antony Bliken, num comunicado publicado no site do Departamento de Estado dos EUA. “Continuaremos a colaborar estreitamente com o governo angolano e o povo angolano para promover nossos objetivos compartilhados enquanto trabalhamos juntos para promover um futuro mais sustentável, seguro, inclusivo e próspero”, acrescenta.

Esta mensagem é divulgada um dia depois de o Tribunal Constitucional (TC) de Angola ter rejeitado os recursos da UNITA e CASA-CE e validado os resultados das eleições gerais de 24 de agosto divulgados pela Comissão Nacional Eleitoral (CNE), que deram a vitória ao MPLA, com maioria absoluta, permitindo a reeleição de João Lourenço para um segundo mandato como Presidente da República.

Os resultados da CNE indicam que o MPLA venceu as eleições em Angola com 51,17% dos votos, elegendo 124 dos 220 deputados da Assembleia Nacional, contra 43,95% da UNITA, que conquistou 90 mandatos. O PRS, a FNLA e o PHA elegeram dois deputados cada.

“Saudamos os milhões de eleitores angolanos que votaram nestas eleições e, ao fazê-lo, demonstraram o seu empenho no reforço da democracia. Estamos ansiosos para trabalhar em parceria com os líderes eleitos de Angola para forjar um amanhã melhor para todos os angolanos e americanos”, acrescenta Bliken, no comunicado.

A cerimónia de investidura de João Lourenço está agendada para a próxima quinta-feira, 15 de setembro, mas mesmo antes da decisão do TC – e já havendo rumores de que a data da investidura seria a que foi definida – os partidos da oposição tinham anunciado a criação de um grupo de trabalho para convocar manifestações “para estudar o quadro e as condições para a organização e convocação de manifestações como expressão do sentimento de repulsa dos cidadãos eleitores”.

As forças armadas angolanas elevaram o estado de prontidão combativa até 20 de setembro para evitar incidentes que “perturbem a ordem e tranquilidade públicas”, sendo garantida a cooperação entre a polícia militar e a polícia nacional para intensificar o patrulhamento auto e apeado nos centros urbanos e suburbanos, especialmente em Luanda.

Relacionadas

Angola/Eleições: UNITA denuncia ameaças e apela à intervenção das autoridades

Segundo disse à Lusa Nelito Ekuikui, que atribui a divulgação das ameaças nos grupos do Whatsapp à direção de informação e propaganda do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), a polícia já foi contactada, mas mostrou-se cético quanto a uma intervenção das autoridades: “não vão fazer nada”.

Angola. MPLA pede responsabilização criminal da UNITA por apresentar “documentos falsificados”

Rui Falcão, que falava hoje à Lusa sobre o acórdão do TC, que chumbou o recurso da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA) e validou os resultados definitivos das eleições de 24 de agosto, em que o seu partido foi proclamado vencedor, disse que o tribunal “foi soberano e decidiu em função de matéria legal que lhe foi presente”.

PremiumTribunal Constitucional indefere reclamação da UNITA sobre as eleições de 24 de agosto

O Tribunal Constitucional (TC) de Angola rejeitou o recurso da UNITA e validou os resultados das eleições gerais de 24 de agosto divulgados pela Comissão Nacional Eleitoral (CNE), que deram a vitória ao MPLA, com maioria absoluta, permitindo a reeleição de João Lourenço para um segundo mandato como Presidente da República.
Recomendadas

Moçambique. Perto de um milhão de pessoas fugiram à violência nos últimos cinco anos

O Alto-Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) estimou hoje que perto de um milhão de pessoas tenham fugido às incursões armadas de rebeldes no norte de Moçambique nos últimos cinco anos.

Banco Mundial revê crescimento da África subsaariana em baixa para 3,3% este ano

“Os ventos contrários globais estão a abrandar o crescimento económico africano, com os países a continuarem a lidar com a subida da inflação e as dificuldades no progresso na redução da pobreza”, lê-se no relatório Pulsar de África, hoje divulgado em Washington, nas vésperas dos Encontros Anuais do Banco Mundial e do Fundo Monetário Internacional (FMI).

São Tomé: Presidência da CPLP sublinha “espírito positivo de todos os atores políticos”

“O Presidente João Manuel Gonçalves Lourenço, presidente da CPLP, mandou-me aqui a São Tomé para conversar com as autoridades locais, também com outros autores da sociedade de São Tomé e Príncipe, neste momento histórico em que o país acaba de passar por um processo eleitoral”, disse o ministro das Relações Exteriores de Angola, Teté António, após um encontro com o Presidente são-tomense, Carlos Vila Nova.
Comentários