Secretário-geral das Nações Unidas destaca perigos que persistem

O secretário-geral das Nações Unidas alertou, na sua mensagem de Ano Novo, para a persistência de perigos como as alterações climáticas e a intolerância, mas acredita que 2019 trará maior combate aos problemas e aproximação entre as pessoas.

Numa mensagem gravada em vídeo, António Guterres deixa a garantia de que “as Nações Unidas vão continuar a aproximar as pessoas, a construir pontes e a criar espaço para soluções”. “Ao iniciarmos este Ano Novo, juntos vamos enfrentar ameaças com que nos defrontamos e vamos defender a dignidade humana e construir um futuro melhor”, afirmou.

Sobre o ano que termina, António Guterres lembrou que emitiu um “alerta vermelho” e destacou aqueles que são os “perigos que ainda persistem”.  “O nosso mundo está a passar por um teste de stress. As alterações climáticas avançam muito mais rapidamente do que nós. As divisões geopolíticas estão a aprofundar-se, tornando os conflitos mais difíceis de resolver. Um número recorde de pessoas está em movimento na busca de segurança e proteção. As desigualdades estão a aumentar. E as pessoas questionam-se perante um mundo no qual um punhado de pessoas detém a mesma riqueza que metade da humanidade”.

O secretário-geral da ONU fez ainda referência ao aumento da intolerância e à queda da confiança, considerando, contudo, haver razões para ter esperança. “As negociações sobre o Iémen criaram condições para a paz. O acordo assinado em Riade em setembro, entre a Etiópia e a Eritreia, melhorou as perspetivas de toda a região. A assinatura de um acordo entre as partes do conflito do Sudão do Sul revitalizou as perspetivas de paz, trazendo mais progresso nos últimos quatro meses, do que nos quatro anos anteriores”, especificou.

O responsável fez também questão de destacar a união dos Estados-membros da ONU em Katowice, na Polónia, onde foi adotado o Programa de Trabalho para aplicação do Acordo de Paris (acordo mundial sobre as alterações climáticas), considerando que agora é momento de aumentar a ambição para combater as alterações climáticas.
“É tempo de aproveitarmos a nossa última melhor oportunidade. É tempo de travar o descontrolo e a espiral das alterações climáticas.”

Na mensagem, destaca a ação da ONU para que fossem adotados acordos globais de referência sobre migração e refugiados e a mobilização das pessoas em apoio aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.
“Quando a cooperação internacional funciona, o mundo ganha”, considerou.

Recomendadas

Ucrânia: Comissão Europeia quer criminalizar subversão das sanções à Rússia na UE

“A Comissão Europeia apresenta hoje uma proposta para harmonizar as infrações penais e as penas pela violação das medidas restritivas da UE [pois], embora a agressão russa à Ucrânia ainda decorra, é primordial que as medidas restritivas da UE sejam plenamente aplicadas e que a violação dessas medidas não seja compensadora”, salienta a instituição em comunicado de imprensa.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta sexta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta sexta-feira.

Sindicato dos Jornalistas da Guiné-Bissau afirma que novas licenças são “forma civilizada” de acabar com imprensa

O Governo guineense publicou, com data de 18 de outubro, um despacho conjunto dos ministros das Finanças, Ilídio Vieira Té, e da Comunicação Social, Fernando Mendonça, no qual fixa novos valores para aquisição de alvarás para atividades de radiodifusão, televisão, jornais e filmagens no país.
Comentários