Sector energético eleva abertura do PSI

A energia está, nesta abertura da sessão, a impulsionar a bolsa de Lisboa, que esteve toda a semana a perder terreno face às suas congéneres europeias.

A bolsa portuguesa (PSI) está esta quinta-feira, 28 de abril, a negociar em terreno positivo. A praça lisboeta abriu a sessão a subir 0,34% para 5,906.52 pontos, contrariando as sessões desta semana.

A Greenvolt impulsiona o PSI ao crescer 1,76% para 6,95 euros, enquanto o BCP avança 1,70% para 0,15 euros. A Sonae soma 1% para um euro, a EDP Renováveis ganha 0,53% para 22,91 euros, a Mota-Engil sobe 0,63% para 1,28 euros, a Navigator cresce 0,78% para 3,90 euros, a Altri valoriza 0,40% para 6,29 euros e a Galp aprecia 0,14% para 10,98 euros.

Em contraciclo, a Nos recua 0,79% para 4,01 euros e a REN deprecia 0,17% para 2,90 euros.

Na abertura da sessão, a Europa está a negociar em terreno positivo. O alemão DAX cresce 1,30%, o francês CAC aprecia 1,38%, o espanhol IBEX valoriza 0,40%, o britânico sobe 0,65% e o italiano ganha 1,04%. O Euro Stoxx segue a valorizar 1,24% para 3.780,95 pontos.

No mercado petrolífero, o Brent perde 0,29% para 104,65 dólares e o WTI desvaloriza 0,22% para 101,80 dólares. O gás natural está no ‘vermelho’ a decrescer 0,96% para 7,323 dólares.

No mercado cambial, o euro perde 0,25% para 1,0529 dólares e a libra esterlina avança 0,06% para 1,2555 dólares.

“Uma série de resultados trimestrais positivos por diversas cotadas nos Estados Unidos e na Europa está a suportar a valorização dos mercados acionistas globais, contribuindo para melhorar o sentimento dos investidores que tem sido fortemente penalizado pelos receios com uma travagem forte da economia e escalada da inflação. Preocupações que podem ser hoje alteradas com os dados da inflação na Europa e do PIB que vão ser divulgados hoje (EUA) e amanhã (Europa)”, escreve o BA&N Research Unit.

“Na frente dos resultados destaca-se a Meta, com a dona do Facebook a registar uma espetacular valorização de quase 20% no after hours, depois da rede social ter voltado a conquistar utilizadores no primeiro trimestre deste ano. As receitas registaram o crescimento mais baixo desde a entrada em bolsa, mas os investidores respiraram de alívio depois da perda de utilizadores no trimestre passado ter colocado em causa o futuro da rede social. A Meta é o destaque, mas muitas outras empresas norte-americanas apresentaram ontem resultados animadores. Foi o caso da Pinterest, Qualcomm e Ford Motor, validando a tendência de uma earning season forte apesar de alguns percalços (Netflix e Alphabet). Os resultados já anunciados por 155 companhias do S&P500 saíram 7% acima do esperado. Na Europa a tendência também é muito positiva, sendo que esta manhã o Barclays, Volvo, Nokia e Unilever apresentaram resultados acima do esperado, o que está a suportar ganhos próximos de 1% no Stoxx600″, evidencia a empresa.

Recomendadas

Wall Street encerra mista. Resultados das tecnológicas aliados à inflação preocupam investidores

O S&P 500 encerra a perder 0,81% para os 3.941,48 pontos. O índice tecnológico Nasdaq também fechou o dia em terreno negativo, a cair 2,35% para 11.264,45 pontos. Já o industrial Dow Jones encerrou o dia no ‘verde’, a subir 0,15% para 31.928,62 pontos.

Bolsa de Lisboa contraria Europa e encerra em terreno positivo com a EDP a liderar ganhos

Contrariamente, as congéneres europeias encerram a sessão no ‘vermelho’, excetuando o espanhol Ibex 35, que valoriza 0,05%.

Wall Street abre no ‘vermelho’. Snapchat arrasta sector tecnológico com perdas superiores a 38%

As ações da Snapchat (Snap) caem 38,05% para 13,96 dólares e arrastam o sector tecnológico depois de a empresa ter emitiu uma declaração em que fazia uma revisão em baixa das suas previsões sobre o crescimento trimestral e apontou para a deterioração do ambiente macroeconómico.
Comentários