Seguro de viagem: o que é, para que serve e como escolher?

Descubra as vantagens em contratar um seguro de viagem e que fatores deve considerar para fazer uma boa escolha para si e para a sua família.

Os imprevistos acontecem aos outros, mas e quando os outros somos nós? Estar protegido com um seguro de viagem, especialmente quando o destino é fora de Portugal, é essencial para umas férias tranquilas. Saiba, neste artigo da autoria do ComparaJá, em que consiste este tipo de seguros, quais as vantagens e como escolher.

O que é um seguro de viagem?

Um seguro de viagem é um serviço que tem como objetivo proteger o viajante de diversos problemas inesperados e potencialmente dispendiosos que podem ocorrem durante a viagem, seja nacional ou internacional. Concede uma maior sensação de tranquilidade e permite que o viajante se sinta protegido mesmo quando vai para fora.

É possível aderir a um seguro de viagem através de três maneiras. Pode ser contratado diretamente através de uma seguradora ou, se a viagem for marcada através de uma agência, poderá já estar contemplado no preço. Além disso, pode ainda estar incluído no cartão de crédito; neste caso, basta que a viagem seja paga com o cartão para acionar o seguro.

Dentro da União Europeia (UE) é mais fácil precaver-se devido à existência do Cartão Europeu de Seguro de Doença. Este documento permite que qualquer cidadão europeu tenha acesso a assistência médica junto de prestadores de cuidados públicos em qualquer dos 28 Estados-membros da UE, Islândia, Liechtenstein, Noruega e Suíça, com a vantagem acrescida de ser gratuito. Todavia, fora deste espaço, é ainda mais necessário estar protegido.

Que tipos de seguros de viagem existem?

Os seguros de viagem podem ter diferentes tipos de coberturas. Tudo depende do tipo de viagem que fizer: duração, destino e atividades previstas. As seguradoras dividem os países por “zonas” às quais atribuem um determinado preço pelo nível de risco que constituem para os viajantes, e os capitais necessários para cada uma das coberturas.

Além disso, férias que incluam desportos radicais ou de aventura encarecem o preço do seguro. Normalmente, os seguros de viagem englobam 7 coberturas:

1. Despesas médicas

Suponha que adoece três dias antes de viajar, o que impede de prosseguir com as férias. Com uma proteção deste género, fica coberto desta situação e pode viajar após a recuperação, uma vez que o seguro reembolsa as despesas associadas à viagem. Além disso, os seguros de viagem podem cobrir despesas médicas, o que é vantajoso se estiver num país em que não conheça o sistema de saúde.

Coberturas:

Financiamento de custos farmacêuticos, médicos, cirúrgicos e de hospitalização no estrangeiro, em caso de doença ou de acidente súbitos.

2. Acidentes pessoais em viagem

Os acidentes em viagem acontecem. Certos seguros garantem assistência em viagem para os seus titulares que foram vítimas destas ocorrências, desde pequenos imprevistos a acidentes graves com consequências para a vida. Às vezes mais vale prevenir-se e estar preparado para o pior.

Coberturas:

Indemnização em caso de morte, invalidez permanente e incapacidade temporária ou absoluta que ocorram no decurso da viagem.

3. Responsabilidade civil

As férias são sempre uma altura de descontração. Viagens com crianças, despedidas de solteiro, grupos de amigos – todas estas situações podem levar a descuidos que podem ser dispendiosos, como estragos na habitação.

Felizmente, os seguros de viagem também contêm seguros de responsabilidade civil que cobrem o risco de o segurado ter de vir a indemnizar terceiros por danos. Desta forma, evitam-se despesas imprevistas ou perda de cauções.

Coberturas:

Pagamento de danos causados involuntariamente pela pessoa segura a terceiros durante a viagem, nos termos da lei civil.

4. Bagagem

Quem viaja com frequência sabe que, volta e meia, há uma mala que se perde. Quem é que nunca chegou ao destino e se apercebeu que a sua bagagem nunca mais chega ou não está como devia estar?

Apesar de a companhia área ter de indemnizar nos casos em que é responsável pelo extravio ou dano da mala, há casos em que não tem de fazê-lo. Além disso, passar vários dias num país estrangeiro sem os seus pertences não só é inconveniente, como implica gastar dinheiro nos bens de que necessita.

Coberturas:

Em caso de perda, roubo, furto ou dano da bagagem, será atribuída uma indemnização à pessoa segura.

5. Acompanhamento médico em viagem

Adoecer e receber rapidamente assistência médica de qualidade é uma das grandes preocupações de quem viaja para fora do seu país, seja devido a uma constipação, picada de um mosquito, ou lesão devido a um acidente.

E se não entender o que lhe diz o médico ou farmacêutico? E se precisar de medicamentos que não estão disponíveis? O seguro poderá encarregar-se de tudo isso.

Coberturas:

Nos casos de acidente ou doença súbita, inclui acompanhamento médico personalizado em permanência.

6. Atraso de voo ou perda de ligações aéreas

Um voo atrasado ou cancelado nunca é uma boa notícia, mas não precisa de estragar as férias. Há seguros de viagem pensados especificamente para os casos em que é surpreendido por um tempo de espera maior do que o previsto ou até mesmo se descobrir que não poderá embarcar.

Coberturas:

Na eventualidade de um atraso de longa duração, garante-se o reembolso de despesas suplementares com hotel e/ou transporte, até ao voo seguinte. Caso ocorra a perda de uma ligação entre dois voos que decorra de um atraso no primeiro voo, garante-se o transporte e o alojamento até ao próximo voo.

7. Cancelamento ou interrupção de viagem

E se, por motivos de força maior, a viagem tiver mesmo de ser cancelada? Com um seguro de viagem, tal não significa que o dinheiro entretanto gasto na reserva do alojamento ou voo seja irrecuperável. O seguro de viagem pode cobrir estas contingências.

Coberturas:

Reembolso dos gastos irrecuperáveis de alojamento e de transporte.

Um seguro de viagem proporciona o alívio necessário para desfrutar ao máximo (e sem preocupações) de uma altura tão importante para relaxar como são as férias, ainda mais quando se trata de tempo passado em família. No entanto, há vários fatores a considerar para escolher a melhor opção.

O que considerar ao escolher um seguro de viagem?

No que diz respeito aos seguros de viagem, não há uma solução universal, pelo que o importante é escolher a opção mais adequada à sua realidade. Assim, quando escolher um seguro de viagem, há vários fatores a considerar, a começar pelo destino em si.

Alguns países registam uma maior taxa de assaltos ou de violência, e outros mais estão sujeitos a calamidades naturais. Ter estes fatores em conta é determinante na seleção do seguro de viagem a contratar.

Por outro lado, uma viagem longa, por natureza, acarreta mais riscos do que uma viagem curta. Além disso, viajar sozinho também é mais arriscado do que viajar com um grupo organizado. É igualmente importante ter em conta a bagagem. Se viajar com equipamentos valiosos, como prancha de surf ou computador, as consequências de extravio serão mais graves do que quando viaja apenas com o essencial.

O estado de saúde também conta. Um viajante com uma doença crónica ou saúde debilitada corre mais riscos do que um viajante saudável. Por fim, se prevê passar a sua estadia na praia, as férias serão, à partida, mais seguras.

Contudo, se planear atividades radicais, como safaris ou canoagem, será mais arriscado. Assim, cada viajante deverá avaliar o seu próprio nível de risco e escolher um seguro de viagem adequado às sus necessidades.

Para além das proteções incluídas neste tipo de seguro, é crucial analisar os montantes máximos das coberturas e ter atenção ainda às exclusões. Todas estas informações estão discriminadas nas condições gerais e particulares dos seguros.

Concluindo…

Assim, sempre que for viajar, avalie bem os seus riscos e necessidades e selecione o seguro de viagem que for mais adequado para si. Os benefícios podem ainda ser mais reforçados quando se está em família e existem crianças no agregado. Desta forma, as férias podem proporcionar um descanso protegido de qualquer eventualidade.

Relacionadas

Férias 2022: 9 dicas para poupar enquanto se diverte

Veja como poupar nas férias 2022 sem esforço e sem deixar de se divertir. Temos para si 9 dicas simples e práticas que pode aplicar este ano.

Como poupar no combustível?

Face à subida dos preços da gasolina e do gasóleo, existem algumas dicas que deve saber para poupar no combustível. Fique a conhecê-las.

Dados móveis ilimitados nas férias de verão: como escolher?

Nas férias, desligamo-nos do trabalho, mas não da internet. As operadoras apostam em dados móveis ilimitados nas férias de verão. Saiba como escolher.

Como escolher o melhor seguro automóvel?

Escolher o melhor seguro automóvel é indispensável para proteger o veículo e os seus ocupantes. Saiba como tomar esta decisão, neste artigo.

Preço dos combustíveis: sabe como é calculado?

O preço dos combustíveis tem um peso cada vez maior no orçamento, mas será que sabe o que é que realmente o torna tão caro?

Como cancelar o seguro automóvel e porque deve fazê-lo?

Descubra em que situações pode cancelar o seguro automóvel sem sair prejudicado e quais os procedimentos corretos a seguir.
Recomendadas

Controlar despesas? Siga esta cinco estratégias

Organizar o orçamento familiar e analisar as despesas com maior peso mensal são dois passos essenciais para planificar a sua vida financeira. Conheça algumas estratégias e ferramentas para fazer frente à atual “avalanche” de aumento de preços e proteger a sua carteira.

Sabe se vai compensar mudar para o mercado regulado do gás? A Deco lança calculadora

Com esta calculadora, pode introduzir a quantidade de gás natural que habitualmente consome, consultando a última fatura, e indicar o número de dias a que essa fatura se refere. Basta depois copiar os dados da fatura para a calculadora e obtém, de imediato, o custo que teria em igual consumo e igual período de faturação no mercado regulado a partir de outubro.

Um senhorio pode aumentar a renda em mais de 50%? Saiba aqui

O aumento da renda da casa é uma das preocupações mais comuns e que, na verdade, resulta da subida da inflação. Mas, apesar de haver algumas exceções, dependendo de contrato para contrato, os senhorios têm de respeitar algumas regras para proceder ao aumento da renda.
Comentários