Seja explorador por umas horas e conheça o património histórico e artístico da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa

Não é preciso ter espírito de detetive para querer desvendar os segredos de espaços tão emblemáticos como a igreja e o Museu de São Roque, entre muitos outros que integram o património da Santa Casa. No interior ou ao ar livre, não faltam itinerários a pensar no “descobridor” que há em si.

Igreja de São Roque

A 15 de agosto de 1498 em Lisboa, no ano em que os navegadores portugueses chegavam à Índia, surgiu a primeira misericórdia portuguesa, na sequência da intervenção da Rainha D. Leonor. Apoiada na sua vontade pelo Rei D. Manuel I, D. Leonor viu nascer a instituição que hoje em dia, em pleno século XXI, abre as portas do seu património edificado e artístico a todos os que queiram conhecer espaços tão emblemáticos da capital, como o Convento de São Pedro de Alcântara, Museu de São Roque e Museu Nacional do Azulejo, ou mais “secretos”, como o Arquivo Histórico e a Biblioteca da Misericórdia.

As marcações para as visitas guiadas e demais atividades culturais promovidas pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa para o mês de novembro já estão abertas e podem ser feitas através dos contactos do Serviço de Públicos e Desenvolvimento Cultural da Direção da Cultura da SCML: 21 324 08 69/87/89 ou através do endereço culturasantacasa@scml.pt.

 

Terça-feira 8 e 22 novembro, às 10h30 | Domingo, 13 novembro às 15h 

Quinta Alegre

Visita guiada

Quinta de recreio do século XVIII, mandada construir por Manuel Telles da Silva, 1.º Marquês de Alegrete. Classificada como Imóvel de Interesse Público, este edifício e a sua envolvente de jardim e mata configuram o exemplo de uma das mais requintadas quintas de recreio barrocas dos arredores de Lisboa. No seu interior, destaca-se um notável conjunto de pintura mural. Reabilitado pela Santa Casa, o palácio assumiu funções lúdico-recreativas.

Ponto de encontro: Campo das Amoreiras, n. 94, Charneca do Lumiar

Participação gratuita mediante marcação prévia. Máximo de 30 participantes.

 

Quinta-feira 10 e 24 novembro | 10h30

Ecologia e pensamento franciscano

Visita temática ao Convento de São Pedro de Alcântara

O pensamento franciscano é profundamente inspirador na procura de um modo de vida alternativo, assente no uso responsável dos recursos naturais e na promoção do bem-estar universal. A crise ecológica é um problema global, que tem na sua base a questão da justiça, da igualdade, dos direitos humanos e do respeito para com a natureza.

Ponto de encontro: Convento de São Pedro de Alcântara – R. Luísa Todi 1, Lisboa

Participação gratuita mediante marcação prévia. Máximo de 30 participantes.

 

Sábado, 12 novembro | 10h e 15h

Museálogos – Azulejaria portuguesa do século XVI ao século XX

Visita temática ao Museu de São Roque e ao Museu Nacional do Azulejo

Um tema, dois museus. A Igreja de São Roque e o Museu Nacional do Azulejo são dois locais incontornáveis para a compreensão do azulejo em Portugal. Se, em São Roque, os azulejos estão preservados no local para onde foram concebidos, mantendo-se a sua relação com a arquitetura, no Museu do Azulejo este património encontra-se musealizado, estabelecendo-se diálogos entre peças feitas para monumentos diferentes, aprofundando-se as técnicas de execução e traçando-se a história do azulejo em Portugal.

Ponto de encontro: Museu de São Roque

Participação gratuita mediante marcação prévia. Máximo de 30 participantes.

 

Sábado, 12 novembro | 10h

Ser investigador por um dia

Hospital de Sant’Ana

Visita-jogo para famílias com crianças dos 6 aos 12 anos

O Hospital de Sant’Ana, com mais de 100 anos de existência, esconde segredos e tesouros únicos. Além de uma família com uma história incrível, que todos ficarão a conhecer,  há todo um rol de animais marinhos, sapos e andorinhas, e plantas mil para descobrir em azulejo.

Ponto de encontro: Porta principal da Capela do Hospital de Sant’Ana

Participação gratuita mediante marcação prévia. Máximo de 20 participantes.

 

Sábado, 12 novembro | 15h

Desenhar a Cidade. Exercícios sobre Arquitetura e Urbanismo

Museu de São Roque

Visita animada com atelier para famílias com jovens dos 10 aos 15 anos

Os conceitos de arquitetura e de urbanismo são trabalhados em grupo, através de um exercício de desconstrução de palavras. Uma vez discutidos os conceitos, passa-se para a análise do real, questionando a cidade, os bairros, as ruas e os edifícios que nos rodeiam. Função e forma estarão em diálogo.

Participação gratuita mediante marcação prévia. Máximo de 20 participantes.

 

Sábado, 13 novembro | 10h30

Património ao Domingo – Igreja e Museu de São Roque

Visita guiada

Edificada na segunda metade do século XVI, a antiga Casa Professa de São Roque foi o principal edifício jesuíta em solo português até 1759. Obra-prima da História da Arte, destaca-se o conjunto de pintura, azulejaria, talha dourada e relicários, bem como a Capela de São João Batista.

Ponto de encontro: Museu de São Roque

Participação gratuita mediante marcação prévia. Máximo de 30 participantes.

 

Quarta-feira, 16 novembro | 10h e 15h

Museálogos – Entre engenhos e inventos

Visita guiada ao Museu de São Roque e o Museu Faraday

A Igreja e o Museu de São Roque e o Museu Faraday, do Instituto Superior Técnico, são dois locais incontornáveis para a compreensão da ciência em Portugal. Em São Roque relembram-se alguns dos padres jesuítas que fomentaram a ciência e a tecnologia na época moderna, bem como a importância que a tecnologia teve no desenvolvimento da SCML. Já no Museu Faraday aprofunda-se a história dos inventos do Portugal contemporâneo e as contribuições que o Técnico teve no desenvolvimento da ciência e da tecnologia.

Ponto de encontro: Museu de São Roque

Participação gratuita mediante marcação prévia. Máximo de 30 participantes (Inscrição exclusivamente válida para as duas partes da visita).

 

Quinta-feira, 17 novembro | 10h30

Os Jogos Sociais

Visita guiada

O tema dos Jogos Sociais, pela sua abrangência, permite uma abordagem multifacetada da história da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, que recebeu em 1783, por decreto régio da Rainha D. Maria I, a concessão das Lotarias. Está prevista a visita à primeira e à atual Sala de Extrações da Lotaria, complementada pela apresentação de alguns documentos históricos relacionados com o jogo.

Ponto de encontro: Museu de São Roque

Participação gratuita mediante marcação prévia. Máximo de 30 participantes.

 

Sábado, 19 novembro | 10h

A Santa Casa Abre Portas – O património cemiterial da SCML no Cemitério dos Prazeres

Visita guiada

Neste itinerário, o foco estará na importância das obras de cariz cemiterial na história da Misericórdia na atualidade, através de uma visita guiada a alguns dos jazigos ligados à instituição existentes nos cemitérios de Lisboa.

Ponto de encontro: Entrada principal do Cemitério dos Prazeres

Participação gratuita mediante marcação prévia. Máximo de 30 participantes.

 

Sábado, 19 e 26 novembro | 10h 

Sabes o que é uma relíquia? | Vamos fazer um relicário 

Igreja e Museu de São Roque

Oficina para famílias com crianças dos 6 aos 12 anos.

Uma relíquia é um objeto de grande valor e estima, que pode ter vários significados em diferentes áreas como a religiosa, familiar ou sentimental. Para manter o seu estado de conservação, as relíquias estão guardadas em relicários que podem ter diferentes formas. Podem ser caixas, cofres, cruzes ou bustos que as protegem no seu interior. O objetivo desta oficina é que cada jovem participante escolha um objeto que tenha, para si, um significado especial. Depois, irão aprender como guardá-lo.

Participação gratuita mediante marcação prévia. Máximo de 20 participantes.

 

Sábado, 19 novembro | 15h

Mistérios em São Roque

Peddy paper para famílias com crianças dos 6 aos 15 anos

Um código de letras encontrado numa epígrafe de pedra com mais de 500 anos será o início de uma aventura para crianças e família descobrirem a história de São Roque, os seus painéis de azulejos e os espaços mais escondidos de uma igreja única da cidade de Lisboa.

Ponto de encontro: Museu de São Roque

Participação gratuita mediante marcação prévia. Máximo de 20 participantes.

 

Domingo, 20 novembro | 10h30

Património ao Domingo – Arquivo Histórico e Biblioteca da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa

Visita guiada

A documentação histórica da SCML, que ocupa cerca de 3,5 km de prateleiras, é constituída, sobretudo, por documentos em papel e pergaminho, fotografias e registos sonoros. É o Arquivo Histórico que coordena e garante o funcionamento e a guarda dos arquivos definitivo e intermédio, assim como da biblioteca de livro antigo. Já a Biblioteca tem à sua guarda as coleções bibliográficas dos séculos XIX, XX e XXI, reunindo livros, revistas e trabalhos técnicos. As coleções versam sobre as áreas de atuação da SCML, nomeadamente ação social, saúde, educação, cultura e história das Misericórdias, entre outras.

Ponto de encontro: Museu de São Roque

Participação gratuita mediante marcação prévia. Máximo de 30 participantes.

 

Sábado, 26 novembro | 10h

Itinerários da Fé – Percurso do Chiado

Percurso pedestre

Esta iniciativa, organizada pelo Quo Vadis – Turismo do Patriarcado de Lisboa, em colaboração com a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, pretende criar um diálogo entre a fé e a herança cultural da cidade. Os participantes são convidados a fazer um percurso pedestre, na zona nobre da capital, e a desvendar a riqueza arquitetónica das igrejas de São Roque, do Loreto, da Encarnação e dos Mártires.

Ponto de encontro: Museu de São Roque

Participação gratuita mediante marcação prévia. Máximo de 30 participantes.

Marcações: Quo Vadis – Turismo do Patriarcado de Lisboa | 21 887 95 49 / turismo@quovadislisboa.com

 

Sábado, 26 novembro | 15h

Descobrir… Plantas em São Roque

Visita-jogo para famílias com crianças dos 6 aos 15 anos

Plantas num museu de arte? Sim, habitam as paisagens das pinturas do Museu e da Igreja de São Roque, e o objetivo é observar, fotografar, descrever, classificar e desenhar as espécies vegetais que nelas estão representadas.

Ponto de encontro: Museu de São Roque

Participação gratuita mediante marcação prévia. Máximo de 20 participantes.

 

Sábado, 26 novembro | 15h

Brotéria / Palácio dos Condes de Tomar

Visita guiada

O Palácio dos Condes de Tomar foi construído na segunda metade do século XIX sobre estruturas pré-existentes, como residência de António Bernardo da Costa Cabral, primeiro Marquês de Tomar. Em 1970, foi adquirido pela Câmara Municipal de Lisboa, que ali instalou a Hemeroteca. Desde 2020, alberga a Comunidade Brotéria, da Companhia de Jesus, uma casa que é também um centro cultural aberto ao público, com uma vasta biblioteca, que abarca áreas do saber como Filosofia, Literatura, Teologia e História, com destaque para a história da Companhia de Jesus.

Ponto de encontro: Brotéria – R. São Pedro de Alcântara 3, Lisboa

Participação gratuita mediante marcação prévia. Máximo de 30 participantes.

 

Domingo, 27 novembro | 10h30

Património ao Domingo – Sala de Extrações da Lotaria Nacional

Visita guiada

Instalada num dos pátios seiscentistas da Casa Professa de São Roque, a Sala de Extrações da Lotaria Nacional foi projetada no início do século XX por Adães Bermudes. Desde 1903 que se ouve a conhecida frase [a sorte] “anda à roda”, cumprindo-se assim o decreto aprovado em 1783 por D. Maria I, que concedeu à Misericórdia a exploração da Lotaria.

Ponto de encontro: Museu de São Roque

Participação gratuita mediante marcação prévia. Máximo de 30 participantes.

Recomendadas

“Annie Ernaux, os anos super 8”: juntar o íntimo ao social e à História

O público português pode marcar encontro com a escritora francesa Annie Ernaux, Nobel da Literatura 2022. No grande ecrã, estreia um documentário que é também um retrato social, a 15 de dezembro, e nas livrarias irá encontrar a reedição de uma obra sua esgotada há 20 anos.

António Costa e a maldição do sete. Ouça o podcast “Maquiavel para Principiantes”

“Maquiavel para Principiantes”, o podcast semanal do JE da autoria do especialista em comunicação e cronista do “Jornal Económico”, Rui Calafate, pode ser ouvido em plataformas multimédia como Apple Podcasts e Spotify.

Didier Fiúza Faustino: 30 anos a questionar

Os projetos do “artista-arquiteto” franco-português, como o próprio se define, são marcados pelo questionamento do papel político da criação e da nossa posição enquanto sujeitos e cidadãos. O MAAT, em Lisboa, dedica-lhe uma retrospetiva que Faustino vê mais como um exercício prospetivo.
Comentários