Sem discurso nem declarações, Marcelo deu posse a Gouveia e Melo como Chefe do Estado-Maior da Armada

Numa cerimónia sem discursos, onde nem à saída foi possível ouvir o novo Chefe do Estado-Maior da Armada nem o Presidente da República, Gouveia e Melo sucedeu o Almirante António Maria Mendes Calado que não compareceu à tomada de posse.

epa09657939 The President of the Republic, Marcelo Rebelo de Sousa (R), during the inauguration of the new Chief of Staff of the Navy (CEMA), Admiral Henrique Gouveia e Melo, which took place at Belem Palace, in Lisbon, 27 December 2021. Admiral Henrique Gouveia e Melo was responsible for the successfull vaccination plan against Covid-19. EPA/ANTONIO COTRIM

Henrique Gouveia e Melo tomou posse, esta segunda-feira, como Chefe de Estado Maior da Armada tendo sucedido ao Almirante António Maria Mendes Calado que não compareceu ao evento.

Numa cerimónia sem discursos, onde nem à saída foi possível ouvir o novo Chefe do Estado-Maior da Armada, o Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa e os restantes governantes presentes, também não prestaram declarações. Apenas  o ministro da Defesa, João Gomes Cravinho respondeu aos jornalistas, dizendo: “Vamos trabalhar.”

A sucessão de Gouveia e Melo sucede a decisão do Conselho de Ministros e o anuncio do Presidente da República no final da semana passada. “O Presidente da República recebeu, do Governo, as propostas de exoneração do Senhor Almirante António Maria Mendes Calado do cargo de Chefe do Estado-Maior da Armada e de nomeação do Senhor Vice-Almirante Henrique Eduardo Passaláqua de Gouveia e Melo para o mesmo cargo”, refere a nota presidencial.

“Assim se antecipa de alguns meses o termo do segundo mandato, a ocorrer de acordo com disponibilidade manifestada pelo Senhor Almirante CEMA. O Presidente da República agradece e louva o muito qualificado desempenho do Senhor Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, aliás, no quadro de uma carreira brilhante, e condecora-o com a Grã-Cruz da Ordem de Cristo”, completou Marcelo.

Depois da execução do plano de vacinação, agora, Gouveia e Melo terá pela frente o desafio de executar o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) na área específica da Marinha. Nesta área está previso a criação de uma plataforma logístico-científica no valor de cerca de 112 milhões de euros.

Relacionadas

“Havia entendimento” para CEMA sair antes do termo do mandato, diz primeiro-ministro

As palavras de Costa coincidem com as proferidas hoje também pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que defendeu ser este “o momento” para substituir o Chefe do Estado-Maior da Armada e considerou que Mendes Calado quis “marcar a sua posição” e dizer que não pediu o afastamento.

Este é “o momento” para substituir Chefe do Estado-Maior da Armada, diz Presidente da República

Na segunda-feira vai dar posse ao quarto CEMA (o vice-almirante Gouveia e Melo) desde que é Presidente da República, considerando que isso “mostra que o Presidente, o comandante Supremo das Forças Armadas, acaba por interferir muito, sempre sob proposta do Governo, em matéria de nomeação e recondução”.

Gouveia e Melo nomeado pelo Governo chefe do Estado-Maior da Armada

A proposta terá agora de ser aceite pelo Presidente da República. António Calado foi exonerado do cargo para dar espaço à nomeação de Gouveia e Melo que foi também promovido ao posto de Almirante.
Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta segunda-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcaram o dia informativo desta segunda-feira.

Santos Silva nega problema com o Qatar e assegura tranquilidade aos emigrantes (com áudio)

O presidente da Assembleia da República (AR), Augusto Santos Silva, assegurou hoje que não há qualquer problema de relacionamento entre Portugal e o Qatar, e salientou que todos os portugueses residentes naquele país asiático “podem estar tranquilos”.

Sindicatos dos médicos e Ministério da Saúde voltam hoje às negociações (com áudio)

Sindicatos dos médicos e Ministério da Saúde voltam hoje a reunir-se para uma segunda ronda de negociações, depois do encontro realizado em 09 de novembro que deu início formal a este processo.
Comentários