Sem surpresas, a Fed sobe taxa de juros pela quarta vez este ano

Aumento fixa intervalo da taxa diretora entre 2,25% e 2,50%, numa decisão já esperada pelos analistas. Atenções centram-se agora no discurso de Jerome Powell, com os mercados expectantes sobre o rumo da política monetária no próximo ano.

A Reserva Federal norte-americana subiu esta quarta-feira a taxa de juros de referência (federal funds rate) pela quarta vez este ano, concretizando a expectativa da generalidade dos analistas.

No final da reunião de dois dias, a instituição liderada por Jerome Powell anunciou o aumento de 25 pontos base, fixando os juros de referência para um intervalo entre 2,25% e 2,50%.

“Tendo em conta as condições realizadas e esperadas no mercado laboral e na inflação, o Comité decidiu aumentar a intervalo alvo da federal funds rate para entre 2,25% e 2,5%”, referiu o banco central, em comunicado.

Apesar das críticas do presidente norte-americano, Donald Trump, à condução da política monetária do banco central, esta é a quarta subida, após o último aumento em setembro, e o nono desde 2015, altura em que colocou fim à política de taxa zero em vigor durante sete anos.

Em relação ao futuro, o Comité explicou que acredita que “novos aumentos graduais na taxa diretora serão consistentes com a expansão sustentada da atividade económica, condições fortes no mercado de trabalho, e a inflação perto do objetivo simétrico de 2% no médio prazo”.

As atenções recaem agora sobre a conferência de imprensa de Jerome Powell, com os mercados expectantes sobre uma sinalização sobre um possível abrandamento do ritmo da subida dos juros em 2019.

[Atualizada às 19h11]

Relacionadas

Fed deverá manter rumo em direção a política neutra, à revelia da ira de Trump

Reunião de dois dias do Comité Federal de Mercado Aberto termina esta quarta-feira. Consenso entre os analistas antecipa um aumento da taxa de fundos federais para um intervalo entre 2,25% e 2,50%. O foco deverá estar em sinais sobre 2019.

Trump vê “Paris a arder e China em queda” e volta a criticar Reserva Federal

Esta não é a primeira vez que Donald Trump critica a política do banco central norte-americano. Última reunião do ano arranca amanhã e analistas esperam a quarta subida das taxas de juro deste ano.
Recomendadas

Cotação do barril Brent para entrega em novembro baixa para 87,96 dólares

A cotação do barril de petróleo Brent para entrega em novembro terminou esta sexta-feira no mercado de futuros de Londres em baixa de 0,73%, para os 87,96 dólares.

Wall Street encerra sessão com principais índices a perder mais de 1,50%

No momento de fecho o Dow Jones recua 1,71%para 28.725,84 pontos, o S&P 500 cede 1,51% para 3.585,40 pontos e o tecnológico Nasdaq desvaloriza 1,51% para 10.575,62 pontos. 

PremiumAções com pior mês desde junho e pode não ficar por aqui

Libra em forte desvalorização e juros da dívida do Reino Unido disparam após polémico “mini-orçamento” de Liz Truss.
Comentários