Senadora republicana Lisa Murkowski crítica de Trump vence primárias no Alasca

Segundo as projeções dos principais meios dos EUA, Murkowski venceu as eleições, derrotando uma vintena de concorrentes, entre os quais uma candidata apoiada por Trump, a também republicana Kelly Tshibaka.

A senadora republicana Lisa Murkowski, a única que em 2021 votou a favor de condenar o ex-presidente Donald Trump (2017-2021) no processo de ‘impeachment’, venceu as eleições primárias no Estado do Alasca, realizadas na quarta-feira.

Segundo as projeções dos principais meios dos EUA, Murkowski venceu as eleições, derrotando uma vintena de concorrentes, entre os quais uma candidata apoiada por Trump, a também republicana Kelly Tshibaka.

O Alasca tem um sistema eleitoral especial em que, nas primárias, concorrem candidatos de todos os partidos – nas de quarta-feira havia tantos republicanos quantos democratas – e os quatro primeiros classificados vão depois disputar a eleição geral de novembro.

Estas eleições também foram marcadas pela tentativa de regresso a política ativa da ex-governadora republicana e antiga candidata à vice-presidência dos EUA Sarah Palin, que disputa um lugar na Câmara dos Representantes.

Mas, por enquanto, Palin aparece na contagem, ainda em curso, atrás da candidata democrata, Mary Peltola.

Este resultado só se saberá, contudo, dentro de dias, quando se considerarem também as segunda e terceira opções dos votantes, uma vez que o Alasca usa um sistema de votação por ordem de preferência.

Recomendadas

Guterres condena “veementemente” golpe de Estado no Burkina Faso

O secretário-geral da ONU, António Guterres, condenou este sábado “veementemente”, num comunicado, “qualquer tentativa de tomada do poder pela força das armas” no Burkina Faso, um dia após um novo golpe de Estado no país, o segundo em oito meses.

Manifestantes denunciaram repressão violenta sobre ativistas no Irão

Milhares de manifestantes em várias universidades iranianas e em vários países protestaram este sábado contra a repressão sobre movimentos de protesto pela morte de Mahsa Amini, a jovem acusada de violar o código de indumentária da República Islâmica.

Bolsonaro agradece apoio de líderes europeus de extrema-direita, entre eles André Ventura

O presidente Jair Bolsonaro, que pretende ser reeleito no domingo, agradeceu este sábado as mensagens de apoio que recebeu de líderes da extrema-direita da Europa, como o primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orban, ou o líder do Chega, André Ventura.
Comentários