Serviço de Informações de Segurança admite risco de Portugal estar na nova rota para redes criminosas

Uma avaliação das secretas ao desembarque ilegal de migrantes marroquinos no Algarve refere que o acolhimento dado em Portugal pode ser atrativo para redes de imigração ilegal.

O Serviço de Informações de Segurança (SIS) enviou nesta semana a todas as forças policiais e aos ministérios da Justiça e da Administração Interna uma avaliação das ameaças e riscos que podem resultar do caso de desembarque ilegal dos oito jovens marroquinos, no passado dia 11 de dezembro, na praia de Monte Gordo.

De acordo com a notícia avançada pelo Diário de Notícias, na edição de sábado, a investigação em curso suspeita de que, pelo menos, outras quatro pessoas viajaram na embarcação, mas que terão conseguido fugir antes da chegada da Polícia Marítima. Os jovens, que que disseram ter entre 16 e 20 anos, não foram detidos nem presentes a tribunal, como é a norma em casos de imigrantes ilegais.

O fator de maior atração para as redes criminosas de imigração ilegal que operam naquela região do norte de África, poderá estar relacionado com o acolhimento proporcionado a estes migrantes.

Os oito estão em regime aberto, a aguardar a resposta ao pedido de asilo que lhes terá sido sugerido pelo próprio SEF, com o apoio do Centro Português para os Refugiados (CPR), que lhes proporciona alojamento num hostel e apoio financeiro.

 

Recomendadas

José Luís Carneiro: Tráfico de imigrantes é “problema estrutural” e polícia intervém porque sociedade “falha”

“Não é um problema novo, é um problema estrutural”, em termos internacionais, afirmou hoje aos jornalistas o governante, no Comando Territorial de Évora da GNR, onde presidiu à inauguração do Espaço “Maria e António”, a renovada sala dedicada ao atendimento à vítima.

Violência doméstica. APAV junta-se à hamburgueria A-100 em ação de sensibilização

A hamburgueria compromete-se a doar à APAV um euro por cada sobremesa vendida esta sexta-feira e vai iniciar uma angariação de fundos na sua página de Instagram até ao final do ano, com o dinheiro a reverter a favor da associação.

Crime de violência doméstica representa metade das medidas de vigilância eletrónica

Entre 2.224 solicitações de vigilância através de pulseira eletrónica recebidas pela DGRSP de janeiro a outubro deste ano, 1.126 ocorreram no âmbito do crime de violência doméstica, correspondendo a 50,63% do total.
Comentários