Setor financeiro recruta e paga até 32 mil euros/ano

O Market Survey 2015 da Msearch revela que o setor da banca e dos seguros procura colaboradores pagando entre 15 e 32 mil euros por ano, consoante o nível de responsabilidade.


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Os bancos e as seguradoras procuram colaboradores para várias funções, pagando entre 15 e 32 mil euros por ano, conclui o Market Survey 2015, levado a cabo pela Msearch.

Entre as funções mais procuradas, o destaque vai para técnico de mercados financeiros, com um salário médio anual de 32 mil euros, técnico de compliance, com uma remuneração anual de 30 mil euros e técnico de risco, com um vencimento médio na casa dos 30 mil euros.

Aos gestores de clientes, outra função muito procurada, oferece-se um salário médio anual de 23 mil euros enquanto para os assistentes comerciais, o salário médio é de 15 mil euros por ano. A Msearch explica que neste tipo de funções não se verificam diferenças salariais decorrentes do género, porém, para funções comerciais na banca, as candidaturas são, predominantemente, do sexo feminino.

Já para as áreas de risco e mercados financeiros, as candidaturas são predominantemente do sexo masculino. “As competências mais valorizadas para os perfis comerciais, são procuradas competências relacionadas com a comunicação e relacionamento interpessoal, aliadas a um bom poder de argumentação e persuasão, capacidade de adaptação e resiliência”, explica a empresa recrutadora. Já para a funções mais técnicas, de risco ou mercados financeiros, são requeridas elevadas competências analíticas, atenção ao detalhe e espírito crítico.

OJE

Recomendadas

Ministra da Justiça diz que é preciso melhorar condições dos processos de recuperação de empresas

“A melhoria das condições de processos de recuperação [de empresas], sobretudo em períodos de insolvência e de dúvida, como o que atravessamos, é um desafio, mas um desafio que temos de concretizar”, afirmou Catarina Sarmento e Castro.

Restaurantes da AHRESP vão assegurar alimentação dos peregrinos da Jornada Mundial da Juventude

A AHRESP vai apoiar a Fundação na “definição das regras de funcionamento da rede de restaurantes e similares que irão assegurar o fornecimento de refeições para os participantes da Jornada Mundial da Juventude e contactar restaurantes e similares para promover a sua adesão à rede, bem como promover o uso do Guia de Boas Práticas da Restauração e Bebidas junto da rede”, lê-se no comunicado.  

Complemento excecional a pensionistas: SNQTB remeteu nova carta ao Primeiro-Ministro

Depois do OE2023 ter sido aprovado o Sindicato Nacional dos Quadros e Técnicos Bancários diz que “o Partido Socialista mantém a injustiça em relação aos bancários reformados que foram indevidamente excluídos da atribuição do complemento excecional a pensionistas”.