SGS apresenta crescimento de 5,2% em Portugal

O Grupo SGS, marca mundial no domínio da inspeção, verificação, análise e certificação, anunciou os seus resultados financeiros do ano de 2014, tendo gerado rendimentos de 4.843 Milhões de Euros, o que representa um crescimento de 5,4% face ao ano anterior. Portugal acompanhou a tendência do Grupo e apresentou um volume de negócios de 20.754 […]

O Grupo SGS, marca mundial no domínio da inspeção, verificação, análise e certificação, anunciou os seus resultados financeiros do ano de 2014, tendo gerado rendimentos de 4.843 Milhões de Euros, o que representa um crescimento de 5,4% face ao ano anterior.

Portugal acompanhou a tendência do Grupo e apresentou um volume de negócios de 20.754 milhares de Euros, que se traduz numa variação positiva de 5,2% em comparação com o ano de 2013. O crescimento obtido em 2014 foi sustentado por um investimento da SGS Portugal ao nível de Recursos Humanos, tendo existido um aumento de 18% no número de colaboradores da SGS Portugal.

Estas metas foram alcançadas sob a gestão de João Marques, Managing Director da SGS Portugal desde março de 2014, que tem vindo a implementar uma estratégia focada na gestão das pessoas e das suas competências, na diferenciação pelo desenvolvimento e inovação e na eficiência dos processos, permitindo à organização apresentar soluções integradas, que correspondem às necessidades e especificidades de cada cliente.

OJE

Recomendadas

“IVA zero? Preferia fortalecer as medidas de apoio às famílias mais carenciadas”, sublinha ex-ministro das Finanças

Em entrevista à “Antena 1” e “Jornal de Negócios”, João Leão defendeu um fortalecimento das medidas de apoio às famílias mais vulneráveis e considerou que ao longo deste ano vai existir uma tendência de descida dos preços dos bens alimentares pela redução dos preços da energia.

Para onde vai o dinheiro dos impostos?

A maioria dos impostos é entregue para proteção social e saúde, enquanto a defesa, desporto, cultura e religião recebem a menor parte.

FMI aprova 14,4 mil milhões para a Ucrânia, primeiro financiamento do género a um país em guerra

A decisão abre caminho ao desembolso imediato de uma tranche de 2,5 mil milhões de euros a Kiev, com a contrapartida da realização de reformas ambiciosas, sobretudo no sector de energia.