Sheik do Dubai pode vir a pagar mais de 500 milhões a ex-mulher refugiada em Londres

Tribunal britânico decretou que o sheik Mohammed bin Rashid al-Maktoum representa uma grande ameaça para a princesa e para os dois filhos, tendo meios disponíveis para raptar os membros da família real.

sheik do Dubai vau ter de pagar uma grande soma à sua ex-mulher, a princesa Haya, e aos seus dois filhos atualmente em Londres, depois de terem fugido dos Emirados em 2019. De acordo com o “The Guardian”, o acordo de divórcio pode exceder 500 milhões de libras (586,86 milhões de euros), sendo este o maior valor já atribuído por um tribunal britânico.

O tribunal decretou que o sheik Mohammed bin Rashid al-Maktoum representa uma grande ameaça para a princesa e para os dois filhos. Relembrar que o sheik do Dubai é também primeiro-ministro dos Emirados Árabes Unidos.

Só a batalha legal, que se iniciou em 2019, já custou mais de 70 milhões de libras (82 milhões de euros) ao Reino Unido. O tribunal descobriu que o rapto da princesa Shamsa, das ruas de Cambridge, serviu como uma forma de intimidação para a princesa Haya e para os dois filhos, que usou o spyware da Pegasus para piratear o telefone de Haya e de dois advogados e que tentou ainda adquirir uma propriedade ao lado da de Haya em Berkshire.

O advogado assumiu mesmo que a maior ameaça para a princesa e para os dois filhos é o sheik, apesar de poderem vir a ser vítimas de rapto ou de terrorismo.

Previamente, a princesa Haya pediu uma pensão de nove milhões de libras (10,56 milhões de euros) anuais ao marido como forma de compensar as perdas que resultaram na sua fuga, como as joias e roupas que ficaram no Dubai, sendo este dinheiro também para cuidar dos filhos.

Recomendadas

Irão: Guarda Revolucionária ataca grupos curdos no Iraque

A poderosa Guarda Revolucionária do Irão desencadeou hoje uma onda de ataques com ‘drones’ e artilharia no norte do Iraque, visando o que Teerão diz serem bases de separatistas curdos iranianos, indicou agência noticiosa semioficial Tasnim.

António Guterres pede fim da “era da chantagem nuclear” e apela a “recuo”

O secretário-geral da ONU, António Guterres, apelou hoje ao fim da “era da chantagem nuclear”, afirmando que o uso de armas nucleares levaria a um “armageddon humanitário”, tornando necessário um “recuo” face às atuais tensões.

Ucrânia. Reino Unido sanciona organizadores de “referendos fraudulentos”

O Reino Unido anunciou hoje sanções contra 33 indivíduos ligados a “referendos fraudulentos” sobre a integração na Rússia de regiões da Ucrânia sob ocupação russa.
Comentários