Sindicatos apresentam aos bancos proposta de atualização salarial de 6,25% para 2023

O Grupo Negociador das Instituições de Crédito (GNIC) tem agora o prazo legal de 30 dias para apresentar uma contraproposta, após o que serão iniciadas as negociações diretas. 

O Sindicato Nacional dos Quadros e Técnicos Bancários (SNQTB) e o Sindicato Independente da Banca (SIB) já apresentaram aos bancos que celebram o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), a sua proposta de atualização para 2023.

A proposta dos sindicatos prevê uma atualização da tabela salarial, pensões de reforma e sobrevivência de 6,25%, bem como das demais cláusulas com expressão pecuniária e o aumento do subsídio de refeição para um valor diário de 14 euros.

“Esta proposta e a respetiva fundamentação tiveram em consideração a evolução previsível da inflação para 2023; os indicadores ao nível do setor bancário e os excelentes resultados alcançados pelos bancos, que têm vindo a anunciar lucros elevados”, dizem os SNQTB e SIB que pretendem também que os ganhos de produtividade sejam repartidos de forma mais equitativa entre os acionistas e os trabalhadores.

O Grupo Negociador das Instituições de Crédito (GNIC) tem agora o prazo legal de 30 dias para apresentar uma contraproposta, após o que serão iniciadas as negociações diretas.

Por outro lado, os dois sindicatos requereram a conciliação aos serviços competentes do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social no que respeita à revisão para 2022 do ACT do setor bancário, “cujo processo negocial vai assim prosseguir nessa sede”.

Os sindicatos consideram que “não obstante e sem prejuízo da negociação para 2022 se encontrar pendente, importava que, desde já, fosse iniciado o processo de atualização para 2023 do ACT do setor bancário”.

Recomendadas

BPI Gestão de Ativos pontua em indicador de investimento das Nações Unidas

A organização Princípios para o Investimento Responsável atribuiu à gestora a classificação de cinco estrelas em Investimento e Política de Envolvimento.

Haitong faz aumento de capital de 15,9 milhões para converter DTA

Em consequência, o capital social do banco de investimento passa a ser no montante de 863,3 milhões de euros.

ASF pede que seguradoras reduzam prémio cobrado quando capital seguro decresce

A Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões (ASF) lança recomendações ao sector segurador para mitigar o impacto da conjuntura económica adversa.
Comentários