Sindicatos chegam a acordo com o EuroBic para a revisão do Acordo de Empresa

Os trabalhadores do EuroBic vão ter novos benefícios com o novo Acordo de Empresa. A nova convenção traz mais benefícios aos trabalhadores, nomeadamente na tabela salarial até 2022, dizem os sindicatos do Sul e Ilhas e do Centro.

O SBSI – Sindicato de Bancários do Sul e Ilhas e SBC – Sindicato dos Bancários do Centro chegaram a um acordo de princípio com o banco para a revisão do Acordo de Empresa.

O processo negocial concluiu-se com um acordo de princípio sobre o clausulado do Acordo de Empresa (AE), que foi já aprovado por unanimidade e aclamação pelo Conselho Geral do SBSI.

A nova convenção traz mais benefícios aos trabalhadores, nomeadamente na tabela salarial até 2022.

A revisão do AE prevê, nomeadamente, a dispensa de assiduidade do trabalhador no 1º dia de escola do filho no 1º e 5º ano do ensino básico; a dispensa de assiduidade do trabalhador no seu dia de anos; a eliminação do prémio de antiguidade, com o pagamento dos proporcionais calculados de acordo com a interpretação dos Sindicatos (recorde-se que há um diferendo com alguns bancos, estando a matéria em tribunal).

Prevê também um prémio de final de carreira, com o pagamento equivalente a 2 vezes a remuneração mensal efetiva (RME) – acima do contemplado no ACT, que é de 1,5 da RME; um subsídio de apoio à natalidade; um subsídio infantil; a eliminação do complemento de abono de família (na maioria dos casos, no valor de cinco euros) atendendo à contratualização do subsídio infantil; um subsídio de estudo; um subsídio de trabalhador estudante; a eliminação das promoções por antiguidade, garantindo-se a promoção para o nível seguinte, “nos termos da cláusula 13ª agora revogada”; o aumento da percentagem mínima de promoções por mérito para 7,5% em cada grupo, em vez dos 5% em vigor; a eliminação das diuturnidades de nível, mantendo-se este regime até opção em contrário do trabalhador; diuturnidades de 4 em 4 anos (em vez de 5 em 5) a partir do vencimento da diuturnidade em curso; e a redução da taxa de juro, mínima, do crédito habitação para 0,0%, em vez dos 0,1% atuais.

Está agora acordado também a assunção por parte do Banco do compromisso de aumentar as tabelas da seguinte forma: 1% em 2019 (com retroativos a janeiro); 1% em 2020; 1,25% em 2021 e 1,25% em 2022.

“Depois de uma negociação difícil, os trabalhadores do EuroBic terão um Acordo de Empresa (AE) com múltiplas vantagens face ao atualmente em vigor, que data de 2012. Recorde-se que em 2012, aquando da compra do BPN pelo Banco Bic Português, foi celebrado um  acordo de Empresa para garantir aos trabalhadores os direitos mínimos, mas que ficou aquém do previsto no ACT do setor bancário em vigor àquela data”, refere o comunicado conjunto dos dois sindicatos.

Os sindicatos lembram que “desde então e até 2017, inclusive, os trabalhadores não viram a sua tabela salarial alterada, aumentando assim a diferença relativamente ao ACT do setor bancário”.

Face a esta situação, “o objetivo do SBSI na revisão do AE foi obter uma melhoria generalizada das condições dos trabalhadores da Instituição, não obstante existir o condicionalismo da inevitável comparação com o ACT do setor bancário em vigor”, acrescentam.

“A tabela salarial e restantes cláusulas de expressão pecuniária a aplicar em janeiro de 2022 serão iguais às do ACT do setor bancário a vigorar para a mesma data, exceto aquelas que forem já superiores, que se manterão”, diz o SBSI e o SBC.

Recomendadas

Caixa realiza Simulacro anual no edifício Sede

“O exercício teve a participação de 3 mil pessoas que se encontravam no edifício à hora do simulacro”, diz a CGD.  

Baluarte distinguida pela CFI como “Best Investment Management Team para Portugal”

A sociedade liderada por Pedro Silveira Assis “cumpriu os requisitos de acesso e apresentou (de acordo com o método ScorePME) um Índice de Desempenho e Solidez Financeira (IDS) Excelente, evidenciando uma Sustentabilidade Financeira acessível apenas a 5% das PME nacionais”, refere a Baluarte em comunicado.

BPI eleito “Banco do Ano 2022” pela revista The Banker

“O BPI tem a liquidez e o capital para continuar a apoiar a economia, a transição para a descarbonização, sem nunca esquecer o nosso compromisso com a banca responsável, num ambiente económico que requer um apoio especial aos mais vulneráveis”, refere o CEO.
Comentários