Sindicatos dos médicos e Ministério da Saúde voltam hoje às negociações (com áudio)

Sindicatos dos médicos e Ministério da Saúde voltam hoje a reunir-se para uma segunda ronda de negociações, depois do encontro realizado em 09 de novembro que deu início formal a este processo.

Nestas negociações estão em causa matérias como a revisão da grelha salarial dos clínicos, a definição do regime de dedicação plena e a reorganização das urgências e do trabalho médico.

Após a primeira reunião, o secretário-geral do Sindicato Independente dos Médicos (SIM), Jorge Roque da Cunha, salientou o “início positivo” das negociações e adiantou que o encontro de hoje servirá para analisar a proposta concreta do Ministério da Saúde.

Já o presidente da Federação Nacional dos Médicos (FNAM), Noel Carrilho, referiu que as duas partes já acordaram que “haveria uma tentativa de antecipar” os prazos que estavam estabelecidos inicialmente nas negociações.

Estas negociações tiveram o seu início formal já com a equipa do ministro Manuel Pizarro, mas a definição das matérias a negociar foram acordadas ainda com a anterior ministra, Marta Temido, que aceitou incluir a grelha salarial dos médicos do Serviço Nacional de Saúde no protocolo negocial.

Depois da demissão de Marta Temido, no final de agosto, os sindicatos representativos dos médicos solicitaram ao Governo a abertura das negociações, criticando o “total silêncio” do Ministério da Saúde sobre o processo.

Recomendadas

Trabalhadores dos impostos criticam Autoridade da Concorrência

O Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos (STI) partilhou o alerta deixado pela Odem dos Contabilistas sobre os problemas no Portal da Autoridade Tributária e Aduaneira (AT), apontando o seu mau funcionamento.

Ministro da Saúde diz que o SNS registou em 2022 a maior atividade assistencial da sua história

O ministro da Saúde afirmou que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) desenvolveu em 2022 a “maior atividade assistencial da sua história, com os hospitais públicos a baterem o recorde de consultas médicas e cirurgias.

PSD quer SNS financiado em função dos resultados

O grupo parlamentar do PSD propôs que o financiamento do Serviço Nacional de Saúde e a valorização de todos os seus profissionais passe a ser feita com base nos resultados que beneficiam os utentes.
Comentários