Nem Sintra nem Alverca. Montijo é a única “opção viável” para a Portela

Estudo da Eurocontrol exclui Sintra e Alverca. Montijo será opção técnica mais viável para extensão do aeroporto de Lisboa.

Jacky Naegelen/Reuters

A base aérea do Montijo é a melhor solução técnica para a extensão do aeroporto de Lisboa. Esta é a conclusão de um estudo da organização europeia para o controlo aéreo europeu, Eurocontrol, a que o Diário de Notícias teve acesso. O estudo vai ser apresentado esta terça-feira ao grupo de trabalho que está a trabalhar a questão e exclui assim as hipóteses de Sintra ou Alverca.

A base aérea nº 6 no Montijo é a opção mais viável para a extensão do aeroporto da Portela enquanto não for construída uma outra infraestrutura para servir Lisboa. De acordo com o estudo, a base garante sustentabilidade para o aumento do tráfego aéreo e segurança.

A Eurocontrol concluiu que podem ser feitas 48 movimentações aéreas por hora no atual aeroporto e mais 24 com o uso da base no Montijo. Um total de 72 movimentos por hora em Lisboa. Aliás, segundo o estudo, é possível que se façam autorizações de descolagem com apenas um minuto de intervalo entre si.

Uma das grandes vantagens do Montijo em relação às duas outras opções (Sintra e Alverca) é que a base permite operações em simultâneo com a pista principal da Portela. A segurança é também uma questão salientada pelo estudo. Neste momento, quando há ventos contrários só se pode aterrar em Lisboa através da pista secundária da Portela.

No Montijo, aterrar com ventos contrários também seria viável. “A redução das áreas restritas e de perigo permite uma maior sequência de chegadas e encurtar o tempo de esperar nas partidas, aumentando o número de movimentos de pista”, explicaram os especialistas da Eurocontrol citados pelo DN.

A ideia seria enviar as companhias low-cost para o Montijo, uma solução que agrada à Ryanair. Já a EasyJet prefere continuar na Portela. O estudo vai ser esta terça-feira discutido pelo Governo, Força Aérea, ANA e NAV que integram o grupo de trabalho que está a estudar a extensão do aeroporto.

Relacionadas

Obras para o novo aeroporto de Lisboa no terreno em 2019, diz Pedro Marques

Estudos começam em 2017. Em cima da mesa estão duas alternativas: recuperar o projeto de Alcochete ou fazer a reconversão da base aérea do Montijo.

Novo aeroporto para Lisboa: “Não podemos esperar mais”

Francisco Calheiros, presidente da Confederação do Turismo Português, garantiu que a capacidade do aeroporto Humberto Delgado está esgotada e alertou para a necessidade de uma decisão rápida do Governo.

Aeroportos nacionais podem parar no Natal com greve de quatro dias

Greves foram marcadas para entre os dias de 27 a 29 de dezembro para os funcionários da segurança e para os dias entre 28 e 30 de dezembro no setor do ‘handling’, afetando a generalidade dos aeroportos nacionais.
Recomendadas

Agência Abreu distinguida em três categorias dos World Travel Awards

Empresa recebeu os prémios de Melhor Agência de Viagens, Melhor Agência de Viagens Online e Melhor Destination Management dos candidatos portugueses.

Airbnb. Anfitriões portugueses com casas em zonas vinícolas receberam mais de um milhão no segundo trimestre

No acumulado do semestre, o número de anfitriões nessas áreas cresceu mais de 70% face ao mesmo período do ano anterior. De abril a junho, um anfitrião típico de uma zona vinícola recebeu em média mais de 2.300 euros.

Costa Silva: Próximos anos não vão ser “cor-de-rosa” para a economia portuguesa

António Costa Silva, ministro da Economia, afirma que “não é com receitas do passado que vamos resolver os problemas”, defendendo que “para resolver os problemas de curto prazo, precisamos de uma visão de longo prazo”.
Comentários