Síria. Trump dá ordem para retirada total das tropas norte-americanas

Cerca de dois mil soldados norte-americanos passaram os últimos meses a combater pequenas forças do Daesh que ainda resistiam. Hoje, Donald Trump confirma que o Estado Islâmico foi derrotado na Síria e ordena, assim, a retirada das tropas norte-americanas do país.

Os EUA estão a preparar-se para retirar todas as suas tropas da Síria, anunciaram fontes oficiais citadas por vários meios de comunicação, incluindo o “Washington Post” e a ”CNN”. O presidente Donald Trump utilizou a sua conta de Twitter para confirmar que Estado Islâmico foi derrotado na Síria:

No Twitter, Donald Trump escreveu que “derrotamos o ISIS na Síria, o único motivo para estarmos lá durante o meu mandato”. Não deu, contudo, mais detalhes sobre o assunto.

Apesar dos EUA continuarem a manter tropas no Iraque com a capacidade de atacar a Síria, uma retirada das forças terrestres cumpriria um objetivo importante da Síria, do Irão e da Rússia e poderia diminuir a influência dos EUA na região.

Segundo as fontes ouvidas pelos referidos meios de comunicação, a decisão terá sido tomada na terça-feira e o Pentágono está a tentar demover Trump de avançar com a retirada das tropas, argumentando que se trata de uma “traição” aos militantes curdos e que isso dificultará, no futuro, os esforços dos EUA para ganhar a confiança de combatentes locais em países como o Afeganistão, Iémen e Somália.

“Até ao momento, continuamos a trabalhar com os nossos parceiros na região”, afirmou Rob Manning, porta-voz do Pentágono, ao canal noticioso norte-americano. “Qualquer relatório que indique uma mudança na posição dos EUA com respeito à presença militar dos EUA na Síria é falso e projetado para semear confusão e caos”, disse a entidade num comunicado no início deste mês.

Cerca de dois mil soldados norte-americanos passaram os últimos meses a combater pequenas forças do Daesh que ainda resistiam. No geral, praticamente todo o noroeste sírio já se encontra livre da Estado Islâmico. Não se sabe ainda se ficarão “para trás” contingentes mais pequenos, para ajudar no processo de reconstrução.

As forças norte-americanas têm estado a trabalhar junto da aliança Syrian Democratic Forces, os responsáveis pelo contínuo avanço militar na zona do central do vale do rio Eufrates.

Recomendadas

Chefes da diplomacia da Rússia e da Guiné Equatorial reuniram-se

Os dois ministros salientaram a importância crucial da segunda Cimeira Rússia-África, a realizar em São Petersburgo em 2023, para o reforço das diversas relações da Federação Russa com nações africanas, adianta-se no comunicado.

Cancelados dois concertos de Roger Waters na Polónia devido a posicionamento pró-russo

O co-fundados dos Pink Floyd iria atuar em Cracóvia em abril do próximo ano, na sala de espetáculos “Tauron Arena”, mas, segundo adiantam alguns meios de comunicação da Polónia, as autoridades polacas pretendem declarar Roger Waters como ‘persona non grata’.

Protestos no Irão: Ministério dos Negócios Estrangeiros convoca embaixadores britânico e norueguês

Mahsa Amini, 22 anos, foi detida na terça-feira passada pela chamada “polícia de moralidade” de Teerão, capital do Irão, onde se encontrava de visita, por alegadamente trazer o véu de forma incorreta e transferida para uma esquadra com o objetivo de assistir a “uma hora de reeducação”.
Comentários