Sismo em Lisboa? Sim. Mas só daqui a mil anos

Lisboa não está preparada para um sismo, defende José Luís Zêzere, investigador do Instituto de Geografia e Ordenamento do Território.

Ninguém esquece o terramoto do dia 1 de novembro de 1755 em Lisboa, sabe-se que vem aí uma segunda edição, mas só não se sabe quando.

Há várias teorias sobre quando Lisboa vai voltar a ser destruída: alguns especialistas defendem que pode ser a qualquer momento, outros dizem que só daqui a mil anos, como é o caso de José Luís Zêzere, investigador do Instituto de Geografia e Ordenamento do Território.

“Só daqui a mais de mil anos é que Lisboa deverá sofrer um sismo como o de 1755”, disse o investigador ao Diário de Notícias.

José Luís Zêzere defende que os terramotos têm ciclos, e que o provável “antepassado” do sismo de 1755 ocorreu em 63 d.C. “O período de retorno pode andar pelos 1700 anos”, acrescentou em declarações ao DN.

“Um sismo é um processo de libertação de energia que ocorre ao longo de falhas tectónicas. A energia para se libertar tem de se acumular primeiro. É esse o processo cíclico”, admitindo que não lugar para “certezas absolutas” sobre possíveis datas.

Esta quinta e sexta-feira acontece um conferência internacional ‘Riscos, Segurança e Cidadania’, em Setúbal. José Luís Zêzere é um dos participantes e admite ter “certeza científica” de que o litoral português vai voltar a ser atingidos por um sismo seguido de tsunami. O desastre natural deve destruir Lisboa, provocando entre 40 mil a 80 mil mortes em Portugal e 20 mil na capital.

Relacionadas

Documentário espanhol alerta: tsunami vai engolir Península Ibérica (só não se sabe quando)

É apenas uma questão de tempo antes que um muro gigante de água atinja a costa de Espanha e Portugal, alertam os cientistas. Documentário espanhol traça cenário catastrófico para a Península Ibérica.

Nestas regiões de portugal o risco sísmico é maior

A previsão rigorosa da ocorrência de um sismo não é possível, no entanto, existem metodologias bastante afinadas para a previsão a longo prazo.
Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quarta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quarta-feira.

“Ainda este ano haverá navios elétricos a navegar no Tejo”, diz ministro do Ambiente

O primeiro navio elétrico tem chegada marcada para o primeiro trimestre de 2023, sendo que três outros barcos devem chegar até ao fim do ano. O primeiro carregador chega entre junho e julho.

Ucrânia: Portugal abriu 103 processos envolvendo crianças e três estão em famílias de acolhimento

Desde que começou a guerra na Ucrânia, a 24 de fevereiro do ano passado, Portugal atribuiu 14.082 proteções temporárias a menores ucranianos, representando cerca de 25% do total dos refugiados que fugiram do conflito.
Comentários