Sismo na Indonésia faz 97 mortos. Há centenas de feridos

O tremor de terra, ocorrido na província de Aceh, destruiu casas, lojas e mesquitas, quando muitas pessoas se preparavam para as orações da manhã.

Pelo menos 97 pessoas morreram na sequência de um sismo de magnitude 6,5 na província de Aceh, na ilha de Sumatra, na Indonésia. Um número que representa mais do dobro do balanço anterior.

O terramoto ocorreu às 05:03 locais (22:03 de terça-feira em Lisboa), com epicentro a 10 quilómetros a norte da localidade de Reuleuet, indicou o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, sigla em inglês).

O número de vítimas mortais do sismo foi detalhado aos media locais pelo chefe do exército, Tatang Sulaiman, segundo a Associated Press. É expectável que o número de mortos continue a aumentar à medida que prosseguem as operações de resgate no meio dos destroços provocados pelo sismo.

Há centenas de feridos, enquanto as equipas de socorro tentam retirar sobreviventes dos escombros.

O tremor de terra aconteceu quando muitas pessoas se preparavam para as orações da manhã e destruiu casas, lojas e mesquitas.

Recorde-se que a província de Aceh foi devastada por um tsunami desencadeado por um terramoto em 2004, em que morreram mais de 170.000 pessoas na Indonésia e mais dezenas de milhares noutros países do Índico. Desta vez, não foi emitido alerta de ‘tsunami’.

Recomendadas

Eleições no Brasil: Bolsonaro acredita que terá no mínimo 60% dos votos

Às presidenciais brasileiras concorrem onze candidatos: Jair Bolsonaro, Luiz Inácio Lula da Silva, Ciro Gomes, Simone Tebet, Luís Felipe D’Ávila, Soraya Tronicke, Eymael, Padre Kelmon, Leonardo Pericles, Sofia Manzano e Vera Lúcia.

Reino Unido: Congresso do Partido Conservador ensombrado por “tempestade” financeira 

Eleita líder dos ‘tories’ apenas no início de setembro, Truss vai enfrentar militantes e deputados irritados com a repercussão do “mini-orçamento” de 23 de setembro nos mercados financeiros, afundando o valor da libra esterlina e fazendo disparar os juros da dívida pública. 

Austrália anuncia sanções contra 28 russos após anexação

As novas sanções visam pessoas que violam a lei internacional para “legitimar as ações ilegais da Rússia na Ucrânia por meio de falsos referendos, desinformação e intimidação”, referiu o comunicado.
Comentários