Siza Vieira diz que economia está mais competitiva e mais exportadora

O ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, afirmou, esta sexta-feira, que a economia portuguesa está “mais competitiva e a exportar mais” do que antes da pandemia, vincando ainda a redução do défice comercial.

Cristina Bernardo

Em Vila Nova de Famalicão, durante uma visita à fábrica de estofos para automóveis Coindu, Siza Vieira lembrou que, este ano, as exportações portuguesas cresceram quase 18% a 2020 e 4,3% relativamente a 2019.

Além disso, acrescentou, entre janeiro e outubro deste ano, comparando com o que passou no período homólogo de 2019, registou-se um “desagravamento” do défice comercial.

“Temos de olhar para o conjunto do ano”, referiu o ministro.

Siza Vieira reagia, assim, às estatísticas do comércio internacional, hoje divulgadas pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), segundo as quais as exportações e as importações portuguesas cresceram 3% e 17,5%, respetivamente, em outubro, face ao mesmo mês do ano passado.

No mês em análise, o défice da balança comercial de bens aumentou 971 milhões de euros, face ao mesmo mês de 2020, atingindo 1.985 milhões de euros.

Excluindo combustíveis e lubrificantes, o défice da balança comercial atingiu 1.242 milhões de euros (um aumento de 525 milhões de euros face a 2020 e de 45 milhões de euros em relação a 2019), apontou o INE.

Para Siza Vieira, não se deve olhar apenas para um mês mas para o conjunto do ano.

“A nossa economia está mais competitiva, a exportar mais do que antes da pandemia [de covid-19] e a reduzir o nosso défice comercial”, reiterou.

Relacionadas

“Algumas empresas estão a ficar para trás”, alerta Siza Vieira

O ministro da Economia e da Transição Digital, Siza Vieira, afirmou esta quinta-feira que os próximos tempos são de recomposição do tecido empresarial e reconheceu haver empresas que “não aguentam” as novas exigências e que estão a ficar para trás.

PremiumSiza Vieira apela a fusão de candidaturas a apoio do PRR para empresas

Vontade de evitar sobreposições será critério para definir quantos dos 64 consórcios pré-qualificados às Agendas Mobilizadoras e Agendas Verdes para a Inovação Empresarial assinarão contratos em 2022.
Recomendadas

Bruxelas favorável a limite de preço para gás russo

“A Europa enfrenta a chantagem energética da Rússia, e a procura global de gás é mais elevada do que a oferta. Precisamos de trabalhar ao longo de toda a cadeia para enfrentar o desafio. Primeiro, temos de agir no ponto em que o gás entra no nosso mercado. Estamos a negociar com os nossos fornecedores fiáveis de gás de gasoduto. Se isto não trouxer resultados, então é possível um preço máximo”, declarou a comissária.

Governo reconhece necessidade de “valorizar salários” e espera acordo na Concertação Social

A ministra Adjunta e dos Assuntos Parlamentares discursava no Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa, no âmbito da conferência “Em nome do futuro: os desafios da juventude”, organizada pela Santa Casa da Misericórdia e pela Rádio da Renascença.

Inflação na Alemanha acelera para 10% em setembro

A inflação homóloga na Alemanha terá subido para 10% em setembro, com os preços da energia e dos alimentos a subirem na sequência da guerra na Ucrânia, de acordo com os números provisórios divulgados hoje.
Comentários