SL Benfica, Sporting CP e FC Porto geraram 333 milhões de euros em transferências

O mercado de transferências fechou à meia-noite, depois de os três grandes somarem valores avultados em vendas, um deles entre os três clubes do continente que mais dinheiro encaixaram. A venda de Darwin Nuñez, por parte do SL Benfica, foi uma das maiores transferências de um mercado em que dominaram as equipas inglesas.

2 – Darwin Nuñez (vai concretizar a transferência para o Liverpool, por 75 milhões de euros) LUSA-JOSE SENA GOULAO

Os três grandes do campeonato português foram dos clubes que mais dinheiro receberam em vendas no mercado de transferências, que terminou à meia-noite de quinta-feira, tendo lucrado em conjunto 333,1 milhões de euros. O SL Benfica conseguiu um lugar no ‘pódio’, ficando logo atrás das águias o Sporting CP e, mais abaixo o FC Porto.

De acordo com os dados do portal especializado ‘Transfermarkt’, especializado em transferências de futebolistas, o clube que acumulou maiores receitas neste mercado de transferências, foi o Mónaco, que juntou 216,22 milhões de euros, seguido pelo Manchester City, com 159 milhões. A fechar as três primeiras posições surge o SL Benfica, com um valor fixado nos 127,3 milhões.

É na quarta posição que surge o Sporting CP, com 119,8 milhões. Mais abaixo, na 14.ª posição surge o FC Porto, cujas vendas geraram 86 milhões em receitas.

No âmbito das contratações de atletas, foram as equipas inglesas que mais abriram os cordões à bolsa, gastando muitos milhões. É que as cinco equipas europeias que mais gastaram nesta janela de transferências são, todas elas, inglesas. Um ‘ranking’ encabeçado pelo Chelsea (281,99 milhões de euros), a que se seguem Manchester United (283,02 milhões), West Ham United (182 milhões), Tottenham Hotspur (169,9 milhões) e Nottingham Forest (161,95 milhões).

No que respeita às maiores transferências do futebol europeu, pelos valores a que as transferências podem chegar, destaca-se a venda de Darwin Nuñez do SL Benfica para o Liverpool, que com os bónus pode render 100 milhões de euros.

Igualada com a transferência do internacional uruguaio, está a venda do extremo brasileiro Antony, do Ajax para o Manchester United, que também pode alcançar os 100 milhões de euros. Fecha o ‘top-3’ a mudança de Wesley Fofana, do Leicester para o Chelsea, nos 87 milhões.

Segue-se transferência de Haaland do Dortmund para o Manchester City (85 milhões), Casemiro do Real Madrid para o Manchester United (85 milhões), Tchouameni do Mónaco para o Real Madrid (80 milhões), De Ligt da Juventus para o Bayern (77 milhões) Alexander Isak da Real Sociedad para o Newcastle (75 milhões), Raphinha do Leeds para o Barça (70 milhões) e Cucurella do Brighton para o Chelsea (68 milhões de euros).

Uma vez mais, dominam as equipas inglesas, que fizeram sete das 10 aquisições mais dispendiosas. Não é por acaso que os 20 clubes da liga inglesa gastaram 2.250 milhões de euros, mais do triplo do que qualquer outra liga (os clubes do campeonato português investiram 171,65 milhões).

Recomendadas

Grupo de direitos das mulheres apela à FIFA que exclua Irão do Campeonato do Mundo

“Por que a FIFA daria ao Estado iraniano e aos seus representantes um palco global, enquanto não apenas se recusa a respeitar os direitos humanos e dignidades básicos, mas atualmente está a torturar e matar o seu próprio povo?”, questionam na carta enviada ao representante do organismo.

Violência no futebol: o que muda com as novas leis? Veja o “Jogo Económico”

Vêm aí novas leis destinadas ao combate da violência no desporto e nesta edição, vamos conhecer ao detalhe as medidas que estão a ser preparadas para o Governo e perceber se se adequam à realidade do fenómeno em Portugal. Daniel Seabra, antropólogo e professor universitário com obra publicada sobre o fenómeno das claques em Portugal, é o convidado do “Jogo Económico”.

SAD Sporting aprova contas, remunerações e nova direção sem Holdimo

A SAD do Sporting aprovou os 11 pontos discutidos na Assembleia Geral da sociedade, que terminou durante a madrugada desta sexta-feira, entre as quais as contas, as remunerações e o novo conselho de administração para 2022-2026, sem a Holdimo.
Comentários