“Só quando uma mulher incompetente chegar ao topo haverá verdadeira igualdade nas Forças Armadas”, diz Marcelo

Comandante Supremo das Forças Armadas referiu o caso das chamadas “unidades de elite” nas quais “é muito difícil uma mulher conseguir chegar a oficial superior”.

O Presidente da República considerou esta terça-feira que só haverá verdadeira igualdade entre homens e mulheres nas Forças Armadas “quando chegar aos mais altos postos uma mulher tão incompetente como chega, em vários casos, um homem”.”Está a melhorar, de facto está, mas verdadeiramente eu costumava dizer o seguinte: só haverá verdadeiramente igualdade entre homens e mulheres, quando chegar aos mais altos postos uma mulher tão incompetente como chega em vários casos, em ínumeros casos, aos mais altos postos, um homem”, defendeu.

Marcelo Rebelo de Sousa intervinha no I Fórum Recrutamento organizado pela Força Aérea, no Teatro Thalia, em Lisboa, sob o tema dos desafios do recrutamento militar, falando especificamente sobre a questão da integração de mulheres nas Forças Armadas.

“Aí de facto quando isso acontecer, com a mesma naturalidade, aí verdadeiramente é que podemos dizer de facto, que quantitativamente se está próximo”, sublinhou.

O Comandante Supremo das Forças Armadas referiu o caso das chamadas “unidades de elite” nas quais “é muito difícil uma mulher conseguir chegar a oficial superior”.

“Dir-se-á: porque são características tais que são concebidas só para homens. Eu nunca vi a comparação em termos externos mas desconfio que deve haver nesse tipo de unidades, ou unidades congéneres, mulheres, mais do que há em Portugal”, acrescentou.

Marcelo admitiu que “é mais fácil refletir do que decidir” e “analisar do que mudar as instituições” e que “as questões de cultura organizacional são muito lentas a mudar”.

“É um bom sinal de mudança de mentalidade este fórum da Força Aérea nos seus 70 anos, quer dizer que não precisou de esperar por 100, por 120 ou 140, para fazer essa reflexão”, rematou.

Recomendadas

PSD critica Governo por “má gestão e execução” de fundos europeus

Catarina Rocha Ferreira falava no debate parlamentar sobre o Estado da União, esta quarta-feira, criticando ainda a conduta do Governo face às PME quando este “só ajudou 21%” destas empresas e é “dos países que menos gastou” nestes apoios.

Governo diz ter “bons sinais” da União Europeia face a prioridades para a economia portuguesa

O secretário de Estado dos Assuntos Europeus, Tiago Antunes, elogiou o pacote de medidas estabelecidas ao nível europeu no âmbito da energia, nomeadamente a solução, a longo prazo, em apostar no hidrogénio verde com a criação de um banco de hidrogénio, orçamentado em três mil milhões de euros.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quarta-feira, 28 de setembro

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcaram o dia informativo desta quarta-feira.
Comentários