Soares da Costa. Trabalhadores manifestam-se

Os trabalhadores da construtora iniciaram a paralisação para reivindicar o pagamento de salários em atraso e apelar à reversão do processo de despedimento coletivo de cerca de 500 funcionários, anunciado esta quarta-feira.


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Os trabalhadores da construtora manifestaram-se esta manhã para reivindicar o pagamento de salários em atraso e apelar à reversão do processo de despedimento coletivo de cerca de 500 funcionários, anunciado esta quarta-feira.

“Não nos roubem o Natal”, imploram os trabalhadores concentrados desde as sete da manhã junto aos estaleiros da Rechousa, em Gaia. Um representante da Comissão de Trabalhadores, José Martins, disse aos jornalistas presentes ter “esperança” de uma reversão da medida. Apelou ao Governo a intervenção, tal como em outros setores como a banca.

Vieira da Silva, ministro da Solidariedade e Segurança Social, assinalou que o Governo vai acompanhar a situação e tudo fará para mitigar o impacto da mesma, mas que não foi um dos temas abordados durante o Conselho de Ministros na manhã desta quinta-feira.

A Soares da Costa enviou uma carta à Comissão de Trabalhadores onde assinala que o despedimento coletivo se deve à crise em Portugal e Angola, apontando “repercussões nefastas” para a empresa da crise e a “estagnação do mercado de construção”, mas os trabalhadores vincam “não ter culpa” desta situação e criticam as administrações.

Os dados são apresentados no dia em que os trabalhadores da Soares da Costa se manifestam em frente à sede da empresa.

OJE

Recomendadas

EDP compra plataforma de desenvolvimento solar na Alemanha por 250 milhões de euros

A empresa destaca que a operação agora oficializada permite ao grupo português entrar na Alemanha e nos Países Baixos, dois países que beneficiam de ambiciosas metas no sector das renováveis, “dado o aumento da importância dada à segurança da entrega de energia e à sua independência”.

Governo enaltece sucesso de empresas portuguesas de construção no mercado dos EUA

Em declarações à Lusa no Seminário Anual da Rede de Empreendedores da Construção (CENSE, na sigla em inglês), na cidade norte-americana de Newark, o secretário de Estado da Internacionalização saudou a presença de dezenas de empresas luso-americanas no evento, realçando que muitas viajaram de propósito de Portugal para ali explorarem oportunidades de negócio.

Alemanha reitera apoio a gasoduto nos Pirinéus e diz que França não excluiu projeto (com áudio)

O chanceler alemão destacou que este projeto tem uma perspetiva de longo prazo e que, para além do transporte de gás no imediato, servirá para fornecer outras energias, como hidrogénio, no futuro.