Software ‘made in Portugal’ promete combater roubos internos de dados

A startup Blockbird Ventures está agora a iniciar a integração do Blockbird Data junto dos primeiros clientes.

Depois de em novembro ter estado presente na Web Summit a apresentar o seu produto, a startup portuguesa Blockbird Ventures está agora a iniciar a integração da solução de software Blockbird Data junto dos primeiros clientes.

Este software de Behavioral Analytics promete ajudar as empresas a monitorizarem as suas aplicações, gerando alertas cada vez que existe um acesso a dados anormal. Construída sob o princípio de “privacy by design” a tecnologia desenvolvida “permite que em nenhum momento sejam capturados dados pessoais, quer dos funcionários das empresas quer dos clientes”.

As empresas que utilizam o Blockbird Data apenas precisam de integrar um SDK (Software Development Kit) nas suas aplicações, catalogar a sua base de dados e a monitorização começa a ser feita automaticamente.

“Em momento nenhum é capturada informação pessoal. Os funcionários são identificados apenas pelo seu user_id e só em caso de actividade suspeita é gerado um alerta. O responsável pela segurança da empresa terá depois que investigar que funcionário corresponde ao user_id em causa, uma vez que o nosso software não tem acesso a essa informação”, garante José Figueiredo, um dos fundadores da Blockbird Ventures.

A Blockbird está a oferecer um período de utilização experimental gratuito para as empresas que mostrarem interesse no produto até final do ano.

PCGuia
Recomendadas

Venezuela prepara acordos com petrolífera Chevron após alívio de sanções

A Venezuela anunciou hoje que vai assinar, nas próximas horas, acordos com a petrolífera norte-americana Chevron para impulsionar o desenvolvimento local de empresas mistas (capital público e privado) e a produção de petróleo.

“Via Verde rejeita categoricamente qualquer acusação de burla” que circule no Portal da Queixa

“Sempre que um cliente passa numa portagem e a transação falha, a Via Verde comunica diretamente com o cliente a dar conta de um eventual problema”, justifica. “Este alerta visa sempre proteger os clientes. Se o problema for confirmado, o cliente pode subscrever um plano Via Verde ou, se assim preferir, comprar um identificador novo”, esclarece fonte oficial da empresa ao JE.

ORES Portugal compra três hipermercados por 26,2 milhões que alugará ao Continente

Os três ativos imobiliários são objeto de contratos de arrendamento de longa duração com o Continente, do grupo Sonae, segundo um comunicado da SIGI do Bankinter e da Sonae Sierra.
Comentários