Sonae Capital investe 1,5 milhões na renovação de hotel em Tróia para unidade de luxo

Em comunicado, a Sonae Capital explicou se tratou de “um investimento de cerca de 1,5 milhões de euros”, que “permitiu transformar uma das unidades já existentes numa experiência de hotelaria cinco estrelas a pouco minutos da praia”.

A Sonae Capital investiu 1,5 milhões de euros na renovação do hotel The Editory by The Sea, que gere na península de Tróia, para uma unidade de luxo com 132 apartamentos, anunciou hoje o grupo.

Em comunicado, a Sonae Capital explicou se tratou de “um investimento de cerca de 1,5 milhões de euros”, que “permitiu transformar uma das unidades já existentes numa experiência de hotelaria cinco estrelas a pouco minutos da praia”.

O hotel The Editory by The Sea, agora renovado, conta com 132 apartamentos e está inserido no Troia Resort, na península de Tróia, concelho de Grândola, distrito de Setúbal.

Em maio deste ano, a Sonae Capital vendeu um conjunto de ativos hoteleiros em Troia, mantendo a exploração do negócio, numa operação cujo valor não foi revelado.

A The Editory Hotel, unidade de negócio da Sonae Capital, manteve a gestão daqueles ativos, uma vez que se tratou de uma operação de ‘sale and leaseback’, uma transação na qual uma empresa vende a sua propriedade e, em seguida, arrenda essa mesma propriedade.

A Sonae Capital tem em operação três hotéis no Porto (Porto Palácio, The Artist e Boulevard Aliados), um em Lisboa (Riverside Santa Apolónia), dois em Troia (Aqualuz e By the Sea) e um em Lagos (Aqualuz), bem como os apartamentos turísticos Troia Residence.

Recomendadas

Sindicatos anunciam marcha silenciosa na terça-feira para protestar contra situação na TAP

Três sindicatos do sector da aviação apelaram aos associados para participarem numa “marcha silenciosa” inédita na terça-feira para “continuar a chamar a atenção de todos” para a situação que, “infelizmente, hoje se vive na TAP Air Portugal”, foi anunciado.

Eletricidade. Comercializadores proibidos de repercutirem custos na fatura depois da polémica com a Endesa

A medida visa garantir que os consumidores já isentos não venham a pagar mais na fatura devido ao mecanismo ibérico. Somente os contratos de fornecimento de eletricidade a preços fixos celebrados depois de 26 de abril é que são impactados pelos custos do mecanismo.

Supremo decide a favor de sindicato e TAP terá de pagar 50 milhões

O Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) confirmou esta sexta-feira que foi notificado pelo Supremo Tribunal de Justiça (STJ), que decidiu a seu favor numa ação judicial que custará mais de 50 milhões de euros à TAP.
Comentários