Sonangol anuncia emissão obrigacionista de 150 milhões de dólares

Segundo a petrolífera estatal angolana, este modelo de financiamento vai “alavancar as operações e investimentos”.

A petrolífera estatal angolana Sonangol anunciou hoje a emissão de obrigações no valor equivalente a 150 milhões de dólares (142 milhões de euros), “em data a informar oportunamente”.

“A Sonangol anuncia, a todos os interessados, a emissão de títulos obrigacionistas, no valor, em kwanzas, equivalente a 150.000.000 USD (cento e cinquenta milhões de dólares americanos), em data a informar oportunamente”, avança a Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola num comunicado divulgado hoje.

Segundo refere, “entre as várias modalidades de financiar as suas atividades, a empresa considerou esta via que permite ao investidor receber periodicamente os juros deste instrumento de dívida obrigacionista, assim como o valor investido”.

“Este modelo de financiamento irá alavancar as operações e investimentos baseados numa empresa com mais de 46 anos de experiência no setor petrolífero, cuja visão passa por se tornar uma companhia de referência, no continente africano, sempre comprometida com a sustentabilidade e o desenvolvimento do país”, lê-se no comunicado.

Recomendadas

Congresso brasileiro toma posse, com eleiçao de líderes que definem relação com governo

Vencerá a eleição no Senado o candidato com 41 ou mais votos de um total de 81 senadores.

FMI apoia Guiné-Bissau a redigir o novo regime de isenções fiscais

A missão liderada por David Baar, economista sénior do Departamento de Assuntos Fiscais do FMI, vai permanecer no país até sexta-feira e na segunda-feira já esteve reunida com os secretários de Estado do Tesouro, Orçamento e Assuntos Fiscais e os diretores-gerais das Alfândegas, das Contribuições e Impostos e da Previsão e Estudos Económicos.

Timor-Leste e ASEAN definem linhas mestras de adesão em reunião em Jacarta

Esta é a primeira reunião em que Timor-Leste participa como observador e uma oportunidade para o país e os Estados-membros da ASEAN definam as linhas mestras do processo a cumprir para que Díli possa, ainda este ano, aderir como membro de pleno direito à organização, disse à Lusa a ministra dos Negócios Estrangeiros timorense, Adaljiza Magno.
Comentários