Sonangol precisa de quase 1.500 milhões de euros até ao final do ano

A presidente da Sonangol, Isabel dos Santos, disse que a petrolífera angolana precisa de uma reestruturação financeira e de 1.569 milhões de dólares (1.476 milhões de euros) para fazer face às necessidades de pagamentos até final do ano.

Isabel dos Santos explicou que a “redução acentuada de receitas” com a venda de petróleo, fruto da queda na cotação do barril de crude no mercado internacional, “não foi acompanhada” na Sonangol “pela necessária revisão da estratégia de investimento do grupo”.

Este cenário, apontou, “conduziu a uma situação difícil perante os credores internacionais, dificultando a capacidade de obter novos financiamentos fundamentais para a sustentabilidade das operações, manutenção dos níveis de produção, pagamentos a fornecedores e cumprimento dos seus compromissos financeiros”.

Isabel dos Santos foi nomeada para aquelas funções, e para liderar o processo de reestruturação da petrolífera estatal, em junho deste ano, tendo hoje revelado que a avaliação entretanto realizada ao grupo, para “conhecimento total da situação de partida”, permitiu detetar “inconsistências entre a informação contabilística e a informação real da empresa”, bem como “uma falta de controlo sobre várias participações financeiras”.

Afirmou mesmo que a situação da Sonangol “é bastante mais grave do que o cenário inicialmente delineado”, obrigando a “decisões de gestão com caráter de urgência”.

“Fica assim cada vez mais evidente a necessidade de implementar de imediato um programa de reestruturação financeira do grupo para conseguir garantir os compromissos financeiros assumidos até à data”, disse Isabel dos Santos.

Durante a conferência de imprensa, foi divulgado que a dívida financeira do grupo para 2016 está estimada em 9.851 milhões de dólares (9.263 milhões de euros) e que atualmente “existe a necessidade de contrair novos financiamentos”, em face dos compromissos financeiros “ainda por financiar”, para que a Sonangol “possa cumprir com os pagamentos até ao final do ano”.

Esta necessidade, foi ainda adiantado, totaliza 1.569 milhões de dólares (1.476 milhões de euros).

Recomendadas

FMI estima que a espiral de salários-preços ainda é um “risco limitado”

A ausência de uma espiral preços-salários não deve levar os líderes a não agirem para combater a inflação persistente, considera ainda o Fundo Monetário Internacional.

Compra de carros de luxo pela TAP “é um problema de bom senso”, diz Marcelo Rebelo de Sousa

“Já falei em relação a várias entidades públicas no passado e em relação à distribuição de dividendos e em relação aos salários e entendo que quando se está num período de dificuldade deve fazer-se um esforço para dar o exemplo de contenção”, defendeu hoje Marcelo Rebelo de Sousa.

Albergaria investe 3,7 milhões de euros na zona industrial para captar investimento e criar emprego

O município “tem realizado um forte investimento no desenvolvimento económico, dinamizando o sector empresarial e a economia local” nos últimos anos, segundo António Loureiro, Presidente da Câmara Municipal de Albergaria-a-Velha.
Comentários