Sonangol vende Puma Energy e compra Pumangol

A saída da Sonangol da estrutura accionista da Puma Energy e a aquisição da Pumangol “representam a concretização de um objectivo estratégico da Sonangol e um passo firme no Programa de Privatizações da empresa”.

A Sonangol e a Pumangol anunciaram a conclusão do processo de venda das suas ações na Puma Energy à Trafigura e a aquisição da Pumangol, conforme anunciado a 16 de Abril deste ano.

A petrolífera angolana sai da Puma Energy em troca de ativos da Pumangol. Com isto os postos de combustível da Pumangol passam para a Sonangol.

“A conclusão deste processo seguiu os trâmites e aprovações regulatórias necessárias e representa a saída oficial da Sonangol da estrutura accionista da Puma Energy, com a qual a Pumangol e todos os seus activos passam a ser inteira e unicamente detidos pela Sonangol”, explica a petrolífera angolana que em Portugal detém uma participação de 19,49% no BCP. A Sonangol detém ainda, indiretamente, cerca de 15% da Galp, através da Amorim Energia, cuja posição total na petrolífera portuguesa é de 33%.

“A saída da Sonangol da estrutura accionista da Puma Energy e a aquisição da Pumangol representam a concretização de um objectivo estratégico da Sonangol e um passo firme no Programa de Privatizações da empresa, bem como significa a aquisição de um reforço ao seu core business de uma empresa rentável e com activos valiosos”, lê-se no comunicado.

No passado dia 16 de abril foi noticiado que a Sonangol vendeu à Trafigura a participação de 31,78% que detinha na Puma Energy por cerca de 600 milhões de dólares. Em troca da sua participação, a petrolífera estatal ficaria com os principais activos da Puma Energy em Angola entre os quais “a rede de retalho da Pumangol, composta por 79 postos de abastecimento de combustíveis, terminais aeroportuários em Luanda, Catumbela, Cunene e Lubango, o Terminal de Armazenagem do Porto Pesqueiro, na Baía de Luanda, e a empresa Angobetumes, pelo mesmo montante que o da alienação” lê-se no comunicado da petrolífera angolana de abril.

“Para a Pumangol a conclusão do processo de aquisição representa uma angolanização total do seu acionista, da sua liderança e do seu pessoal. É o início de uma nova jornada onde o legado da era Puma Energy, alicerçado na sua experiência, continuarão a manter a Pumangol pujante e eficiente, adicionando qualidade e valor para o seu acionista, e continuando a prestar um serviço de excelência e uma gama de produtos de alta qualidade aos seus clientes”, lê-se no comunicado enviado esta quinta-feira.

Recomendadas

OPEP retoma reuniões presenciais perante medo de recessão internacional

A OPEP+, o grupo integrado pelos membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) e aliados, reúne-se quarta-feira pela primeira vez presencialmente desde março de 2020, num momento em que crescem os receios de uma recessão internacional.

BNA levanta suspensão da participação no mercado cambial imposta ao Finibanco Angola

O Finibanco Angola tinha sido suspenso de participar no mercado cambial, por um período de 45 dias, pelo Banco Nacional de Angola (BNA), depois de o supervisor bancário angolano detectar incumprimentos durante uma inspecção pontual, em meados de agosto.

“Café com o CEO”. Assista à conversa com o Dr. Luís Teles, em direto a partir de Luanda

“Café com o CEO” é uma iniciativa promovida pela empresa angolana E.J.M, fundada por Edivaldo Machado em 2012, que procura dar a conhecer os líderes que estão a dar cartas em Angola e outros países da Lusofonia. Assista à sessão em direto de Luanda, capital angolana.
Comentários