Sondagem dá vantagem a Lula na corrida contra Bolsonaro a 100 dias das eleições

A primeira volta para a corrida ao Palácio do Planalto está marcada para o dia 2 de outubro.

Uma sondagem realizada recentemente sobre as intenções de voto para as presidenciais do Brasil aponta para a vitória de Lula da Silva, de acordo com a g1, que garante 23% de vantagem sobre Bolsonaro.

De acordo com números do relatório dado a conhecer ontem, quinta-feira, pelo instituto Datafolha e consultados pelo “Folha de S.Paulo”, o candidato do Partilho Trabalhista garante 47% na primeira volta, face às intenções de voto de 28% do atual presidente brasileiro.

Na sondagem anterior, Lula garantia  58% e Bolsonaro 33%, uma diferença de 25 pontos percentuais.

Quanto aos votos brancos e nulos, mantêm os mesmo 8%.

O inquérito em questão, cujas respostas foram recolhidas nos dias 22 e 23 de junho, abrangeu um universo de 2.556 pessoas de 181 cidades brasileiras.

Em maio, Jair Bolsonaro tinha 27%, oscilando agora para 28%, dentro da margem de erro (de 26% a 30%.

Ciro Gomes, do PDT, tinha 7%.

A primeira volta para a corrida ao Palácio do Planalto está marcada para o dia 2 de outubro.

Recomendadas

Cinco conglomerados chineses deixam “voluntariamente” Bolsa de Nova Iorque

As petrolíferos Sinopec e PetroChina, a subsidiária da Sinopec com sede em Sangai, a seguradora China Life Insurance e a gigante de alumínio Chalco figuram na lista da SEC, regulador do mercado norte-americano, ameaçadas de expulsão de Wall Street no caso de não cumprimento dos novos requisitos de auditoria.

PremiumPrimeiro-ministro assume postura de moderação

Um objetivo politicamente aceitável e o fim da intervenção militar em Gaza mal esse objetivo foi alcançado e antes que se tornasse incontrolável. A poucos meses das eleições, Yair Lapid não abre mão da segurança, mas quer ser diferente.

Angola vai a votos dia 24. Eleitores residentes fora do país podem votar pela primeira vez

Nestas quintas eleições da história participam sete partidos e uma coligação e além da primeira participação de dois partidos, o Partido Humanista (PH) e o Partido Nacionalista da Justiça em Angola (P-Njango).
Comentários