Sondagem: Lula já tem 46% das intenções de voto. Bolsonaro estável nos 35%

Lula da Silva continua a ser o candidato mais popular, na corrida à Presidência brasileira. Tem agora 46% das intenções de voto, estando 11 pontos acima de Jair Bolsonaro.

Lula da Silva mantém-se na frente da corrida à Presidência brasileira. De acordo com a sondagem da Associação Brasileira de Pesquisadores Eleitorais (ABRAPEL) divulgada este sábado, o ex-líder do Brasil reúne, neste momento, 46% das intenções de voto, na primeira volta, seguindo-se o atual Presidente, Jair Bolsonaro, com 35%.

Com 46% das intenções de voto – um ponto acima da sondagem realizada na semana passada –, Lula da Silva (do PT) ultrapassou a soma dos demais candidatos: Jair Bolsonaro (do PL) conta, atualmente, com 35% das intenções de voto, estável face à última sondagem; Ciro Gomes (do PDT) mantém-se em terceiro lugar, com 6% das intenções de voto, menos um ponto do que na semana passada; E Simone Tebet (do MBD) reúne, atualmente, 4% das intenções de voto, também menos um ponto do que na última sondagem.

Já Felipe D’Avila e Soraya Thronicke, que na última semana contavam com 1% das intenções de voto, passaram a não atingir o nível mínimo (0,5%), o que significa que na lista da ABRAPEL indica-se agora que reúnem 0% das intenções de voto.

Em contraste, o número de votos brancos ou nulos subiu de 3% para 5% e também o número de inquiridos que não responderam ou não sabem ainda em quem vão votar aumentou de 2% para 4%.

Bolsonaro à frente de Lula entre os homens inquiridos

Os dados divulgados este sábado pela ABRAPEL permitem fazer um retrato dos eleitores que cada um dos candidatos está, neste momento, a atrair. Por exemplo, entre os homens inquiridos, Jair Bolsonaro é o mais popular, com 42% das intenções de voto, um ponto acima de Lula da Silva. Mas, entre as mulheres inquiridas, é este último que se destaca: Lula da Silva tem, neste grupo, 49% das intenções de voto contra 28% das intenções de voto reunidas por Jair Bolsonaro.

Quanto às faixas etárias, Lula da Silva está à frente do atual Presidente brasileiro, entre os eleitores de todas as idades, mas é entre os mais jovens (16 a 34 anos) que a diferença entre estes candidatos é superior (48% das intenções de voto contra 31% das intenções de voto, respetivamente).

No que diz respeito às habitações académicas, o ex-líder brasileiro é também o mais popular, de modo geral, mas a diferença face a Jair Bolsonaro é mais acentuada entre os eleitores cujas qualificações são mais baixas.

Diferente cenário é encontrado numa análise em função dos rendimentos: Lula da Silva está à frente somente entre quem ganha até dois salários mínimos. Nos demais casos, é Jair Bolsonaro que lidera a corrida, ainda que a diferença seja, no máximo, de quatro pontos percentuais.

Maioria quer que a eleição fique decidida na primeira volta

Cerca de 70% dos brasileiros inquiridos desejam que as eleições presidenciais fiquem decididas logo na primeira volta, que está marcada para dois de outubro. Cresceu o universo de inquiridos que preferem essa opção face à análise feita na semana passada.

Ainda assim, a ABRAPEL simulou uma segunda volta entre Lula da Silva e Bolsonaro, indicando que o primeiro recolheria 54% das intenções de voto e o segundo 38%, com 6% dos inquiridos a optar pelo voto branco ou nulo.

Para esta sondagem, foram inquiridas 1.100 pessoas de 16 anos ou mais de todas as regiões do Brasil, de 21 a 23 de setembro de 2022.

Atualizada às 18h52

Recomendadas

Mundial2022: Qatar condena campanha “infundada” em resposta a críticas do PE

O Qatar condenou a resolução adotada na semana passada pelo Parlamento Europeu (PE) criticando a sua escolha como sede do Mundial de futebol em curso e denunciou uma campanha “infundada” assente em “acusações falsas e informação enganosa”.

Covid-19: Human Rights Watch pede respeito pelos direitos de manifestantes na China

A Human Rights Watch defendeu hoje que o Governo chinês deve respeitar os direitos de todos aqueles que protestam pacificamente contra as restrições no combate à pandemia de covid-19.

Sociedade civil são-tomense pede investigação internacional a “triste episódio” com quatro mortos

A sociedade civil são-tomense pediu hoje aos parceiros de cooperação uma “investigação internacional urgente” sobre o “triste episódio” do ataque ao quartel militar, na sexta-feira, em que morreram quatro pessoas, alegadamente após “agressão e tortura”.
Comentários