PremiumSondagens começam a correr mal a Donald Trump

Pela primeira vez, a diferença de intenções de voto entre candidatos presidenciais atingiu 17 pontos. Entretanto, Obama regressa à campanha de Biden.

Apesar de o presidente norte-americano Donald Trump ter optado, desde que saiu do hospital militar onde esteve internado com uma infeção por Covid-19, por se apresentar como uma espécie de herói da Marvel – menos na parte em que demonstrou, num dos seus últimos comícios públicos, ter sido afetado por uma propensão osculatória contrária às normas tradicionalmente assexuadas da banda desenhada – as sondagens parecem começar a correr-lhe bastante mal.

Faltando menos de três semanas para o dia das eleições, uma sondagem do jornal inglês “The Guardian” e da Opinium resulta no maior diferencial alguma vez conseguido entre Trump e o democrata Joe Biden: 17 pontos percentuais. Segundo o estudo, 57% dos prováveis eleitores entrevistados disseram que pretendem votar em Biden, enquanto apenas 40% apoiam o ainda presidente – uma margem que é um ponto acima da CNN (16 pontos), que era a que até agora dava a margem mais alargada entre os dois pretendentes.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumContrato que prevê bónus milionário da CEO da TAP não é válido

JE revela contrato de Christine Ourmières-Widener: prevê exercício de funções até 2026 e bónus de até três milhões de euros. Mas não chegou a ser ratificado em AG da TAP.

PremiumLeia aqui o Jornal Económico desta semana

Esta sexta-feira está nas bancas de todo o país a edição semanal do Jornal Económico. Leia tudo na plataforma JE Leitor. Aproveite as nossas ofertas para assinar o JE e apoie o jornalismo independente.

PremiumPatrões querem que todas as despesas de teletrabalho fiquem isentas de IRS

Governo estuda fixar um valor até ao qual as despesas de teletrabalho estão livres de IRS. Patrões consideram positivo, mas avisam: ideal seria todos os pagamentos estarem isentos.
Comentários