S&P baixa notação da Ucrânia para incumprimento “selectivo”

A agência baixou esta sexta-feira a notação de crédito da Ucrânia para “SD”, ou incumprimento “seletivo”, o último nível antes do incumprimento de pagamentos, devido à moratória sobre a sua dívida externa obtida na quarta-feira.

A S&P baixou esta sexta-feira, 12 de agosto, a notação de crédito da Ucrânia para “SD”, ou incumprimento “seletivo”, o último nível antes do incumprimento de pagamentos, devido à moratória sobre a sua dívida externa obtida na quarta-feira.

“Dados os termos e condições anunciados da reestruturação, e de acordo com os nossos critérios, consideramos esta transação (…) equivalente a um incumprimento”, disse a S&P num comunicado.

Os credores internacionais concederam à Ucrânia uma moratória de dois anos para a sua dívida externa, avaliada em 20.000 milhões de dólares (cerca de 19.500 milhões de euros).

As notações da dívida em moeda estrangeira a longo e curto prazo são rebaixadas de CC/C para SD.

Tal como com outras notações, a agência não fornece qualquer perspetiva indicando se planeia aumentar, diminuir ou manter a notação.

Um país é considerado em incumprimento quando é incapaz de honrar os seus compromissos financeiros com os seus credores, que podem ser governos, instituições financeiras (Fundo Monetário Internacional, Banco Mundial, etc.) ou investidores nos mercados financeiros e diz-se que um incumprimento é parcial quando o Estado não reembolsa parte das suas obrigações.

Um grupo de credores ocidentais incluindo a França, os Estados Unidos, a Alemanha, o Japão e o Reino Unido acordaram em 20 de julho um adiamento do pagamento dos juros da dívida da Ucrânia na sequência de um pedido de Kiev, exortando outros detentores de obrigações a fazer o mesmo.

A economia da Ucrânia entrou em colapso desde o início da guerra com a Rússia em 24 de fevereiro e pode ver o seu Produto Interno Bruto (PIB) cair 45% este ano, de acordo com as últimas estimativas do Banco Mundial de junho.

O adiamento do pagamento de obrigações pela Ucrânia poderia poupar-lhe pelo menos 3.000 milhões de dólares (2.923 milhões de euros) em dois anos, de acordo com cálculos da Bloomberg.

 

Recomendadas

Bruxelas dará “resposta mais forte possível” em caso de sabotagem no Nord Stream

A presidente da Comissão Europeia assegurou que, caso as três fugas detetadas nos gasodutos submarinos Nord Stream no mar Báltico sejam uma “ação de sabotagem”, haverá “uma forte resposta”.

Ucrânia: Autoridades pró-russas anunciam vitória do ‘sim’ à anexação em Zaporijia

As autoridades pró-Moscovo anunciaram que a região ucraniana de Zaporijia, uma das quatro ocupadas pela Rússia, aprovou a anexação à Federação Russa no referendo que decorreu nos últimos quatro dias.

Dezenas de milhares de russos fogem para a Geórgia, Cazaquistão e Arménia

Por não exigirem visto para cidadãos russos, a Geórgia e a Arménia têm sido um destino importante para os russos em fuga desde o início da guerra iniciada em 24 de fevereiro.
Comentários