S&P sobe rating de Portugal

A classificação da dívida soberana de longo prazo de Portugal subiu um nível de BB para BB+, anunciou esta sexta-feira a agência de notação financeira Standard & Poor’s. No entanto, o outlook baixou de positivo para estável. O rating atribuído pela S&P estava dois níveis abaixo de lixo e sobe agora para o primeiro nível menos negativo na […]

A classificação da dívida soberana de longo prazo de Portugal subiu um nível de BB para BB+, anunciou esta sexta-feira a agência de notação financeira Standard & Poor’s. No entanto, o outlook baixou de positivo para estável.

O rating atribuído pela S&P estava dois níveis abaixo de lixo e sobe agora para o primeiro nível menos negativo na escala S&P dentro da categoria de “investimento especulativa”. Mais um nível e poderá sair dos níveis mais arriscados, considerados “lixo”.

A perspetiva da notação de crédito de Portugal baixou de positiva para estável. Na última revisão, em março, tinha passado de estável para positiva. Na prática, a S&P recomenda a dívida portuguesa apenas aos investidores que assumem maiores riscos nas suas carteiras, em oposição àqueles mais conservadores (por exemplo fundos de pensões) que preferem optar por ativos com notação de risco de qualidade.

O mercado antecipava a possibilidade de manutenção do rating e da perspetiva, uma vez que se aguardam os resultados das eleições legislativas, a 4 de outubro, altura em que se esperava que o S&P alterasse os seus prognósticos.

Deste modo, a agência norte-americana espera que as políticas de consolidação orçamental continuem, “independentemente do resultado das eleições” de dia 4 de outubro.

rating passou de BB para BB+, o nível menos negativo na escala da S&P dentro da classificação de dívida especulativa. Isto significa que, apesar desta melhoria do rating, a S&P continua a recomendar a dívida portuguesa apenas aos investidores que assumem maiores riscos nas suas carteiras, em oposição àqueles mais conservadores – como os fundos de pensões – que tendem a limitar-se ao investimento em ativos com notação de risco de qualidade.

 

OJE

Recomendadas

PremiumEUA e zona euro vão ter uma “aterragem dura” na pista da recessão no próximo ano

A subida das taxas de juro para controlar a inflação vai ter forte impacto na economia em 2023. Alemanha afunda acima da média, com China a crescer acima do previsto.

PremiumJoão Caiado Guerreiro: “Os vistos gold têm sido extremamente positivos para o país”

Área de Imigração deverá continuar a ser das mais dinâmicas da Caiado Guerreiro, apesar do anunciado fim dos vistos ‘gold’. Processo para cobrar cinco milhões de euros em honorários à Pharol vai a julgamento em fevereiro.

Custo de cabaz alimentar de bens básicos aumentou 21% para adultos num ano, diz BdP

O banco central revela que entre outubro de 2021 e outubro de 2022, o custo mensal médio e mediano de um cabaz básico de consumo alimentar para um adulto com cerca de 40 anos aumentou 21% e 24%, respetivamente.