S&P sobe rating intrínseco do BCP

A S&P reviu em alta o rating intrínseco do Banco Comercial Português em resposta “ao reforço da base de capital do banco atualmente em curso”.

A S&P reviu em alta o rating intrínseco do Banco Comercial Português de b para b+ em resposta “ao reforço da base de capital do banco atualmente em curso”. A informação foi enviada pelo BCP à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) esta manhã.

“A desalavancagem prosseguida e as iniciativas de capitalização específicas, tais como a venda de uma participação minoritária na subsidiária Polaca e a conversão de instrumentos subordinados em ações ordinárias, ambas concluídos este ano, contribuíram para o reforço da posição de capital do banco, numa altura em que os riscos económicos de Portugal também se estão a reduzir”, explica ainda a nota enviada ao regulador do mercado.

O BCP avança ainda que a S&P “espera que a recuperação gradual dos resultados líquidos em Portugal e a recente decisão de fundir a operação em Angola com o Banco Privado Atlântico” contribua para a “geração de capital adicional”.

A S&P removeu um nível anteriormente incluído para suporte governamental na notação de rating de longo prazo do Millennium bcp na sequência da implementação da Diretiva de Recuperação e Resolução Bancária.

Em resultado das alterações referidas, a S&P reafirmou “as notações de rating de contraparte de longo e curto prazo do Millennium bcp em “B+/B”. O outlook é positivo, refletindo quer a possibilidade da envolvente operacional para os bancos a operar em Portugal se ter tornado menos arriscada quer os progressos adicionais do BCP na normalização do seu perfile de funding, o que inclui a redução do financiamento obtido junto do BCE”, conclui o comunicado.

OJE

Recomendadas

Inflação pode retirar competitividade às empresas portuguesas

Responsável da Fundação AIP considera que os custos nos transportes, aliados ao atual quadro político poderá levar a que esta não seja a melhor altura para o sector empresarial se expandir para os mercados mais longínquos. Investir na vertente digital é outro dos desafios.

Bancos sujeitos a coimas até 1,5 milhões se não aplicarem diploma do Governo para crédito à habitação

Está já em vigor, a partir deste sábado, o diploma que estabelece medidas destinadas a mitigar os efeitos do incremento dos indexantes de referência de contratos de crédito para aquisição ou construção de habitação própria permanente. Bancos têm 45 dias a partir de hoje para aplicar as medidas.

Ministra da Justiça diz que é preciso melhorar condições dos processos de recuperação de empresas

“A melhoria das condições de processos de recuperação [de empresas], sobretudo em períodos de insolvência e de dúvida, como o que atravessamos, é um desafio, mas um desafio que temos de concretizar”, afirmou Catarina Sarmento e Castro.