Star Wars invade o universo da Google

Quando faltam pouco mais de três semanas para a estreia do sétimo filme da saga Star Wars, a Google decidiu adaptar algumas das suas aplicações ao gosto daqueles que optam pelo lado da luz ou pelo lado negro da Força.


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Quando faltam pouco mais de três semanas para a estreia do sétimo filme da saga Star Wars, a Google decidiu adaptar algumas das suas aplicações ao gosto daqueles que optam pelo lado da luz ou pelo lado negro da Força.

O OJE já experimentou. Ferramentas como o Gmail (imagem abaixo), o Google Maps, o YouTube ou o Google Chrome (imagem acima) adquiriram um novo aspeto.

gmail_Starwars

Clay Bavor, vice-presidente de Product Management da Google, explicou que estes ajustes foram desenvolvidos para “os fãs de Star Wars, dos mais velhos aos mais novos”. O dirigente da Google diz que se lembra da primeira vez que assistiu a um destes filmes: “Foi com o meu pai. Eu inha cerca de quatro anos. Numa bela tarde ele tinha substituído a nossa TV antiga dos anos 80 e as gravações em formato Betamax e surpreendeu-me com o filme Star Wars. É claro que foi espetacular, e desde essa altura, já vi a trilogia original mais de uma dúzia de vezes”.

É caso para dizer que a opinião de Clay Bavor é suspeita, mas não será a única. O responsável explica que “provavelmente, não será surpresa para ninguém haver imensos fãs de Star Wars como eu aqui na Google. Regularmente,é possível ver Darth Vaders, cães vestidos como o Yoda e até stormtroopers a vaguear pelos corredores dos nossos datacenters (provavelmente em busca dos droids)”.

Clay Bavor recorda que “assim que ouvimos falar do Episode VII, começámos a pensar como é que a Google poderia prestar um tributo a estas histórias épicas: Não seria giro se existisse alguma coisa do Star Wars na pesquisa? O millennium Falcon no Cardboard seria muito giro! E se o Google Translate conseguisse decifrar as linguagens?”. A lista de ideias foi aumentando e “à medida que crescia, incrementando também o número de pessoas da engenharia e de produto apaixonados que queriam fazer parte deste projeto”. Daí a contactar os amigos nas produtoras Lucasfilm e Disney e começar a trabalhar no desenvolvimento do google.com/starwars, foi um ápice.

[Clique aqui para ver o vídeo]

O Google Star Wars “é um espaço para fãs, desenvolvido por fãs e, a partir desta segunda-feira, é possível a cada um escolher o “Lado da Luz” ou o “Lado Negro” e ver as suas aplicações favoritas da Google, tais como Gmail, Google Maps, YouTube, Chrome e outras mais refletirem o caminho escolhido”.

O responsável acrescenta que “tudo isto é apenas o início. Temos muito mais novidades para apresentar hoje e na noite de estreia (por exemplo, o Millennium Falcon em todo o seu esplendor, em realidade virtual”.

Foram também escondidos alguns “easter eggs”, alerta Clay Bavor.

Atualização às 13h27: O OJE descobriu através do Gizmodo Brasil um dos easter eggs! 

Se pesquisar no Google por “a long time ago in a galaxy far far away”, os resultados exibidos irão surgir no clássico formato da abertura de Star Wars. 

OJE

Recomendadas

Louisville: uma iniciativa solidária de Pedro Sousa Pereira e Mário Cruz

O jornalista Pedro Sousa Pereira acaba de editar o álbum “Louisville”, com o fotojornalista Mário Cruz e vários músicos portugueses, que é “um manifesto” sobre a arte na prevenção do crime, a partir da realidade social norte-americana”. A iniciativa é um projeto solidário.

Évora é a cidade portuguesa que venceu a corrida ao título de Capital Europeia da Cultura 2027

O anúncio foi feito quarta-feira, dia 7 de dezembro, pelas 16h30, no Centro Cultural de Belém, em Lisboa. Évora é a cidade que vai vestir o título de Capital Europeia da Cultura em 2027.

Filme “Alma Viva”, de Cristèle Alves Meira, considerado elegível para os Óscares

O filme “Alma Viva”, da realizadora luso-francesa Cristèle Alves Meira, foi considerado elegível para uma nomeação aos Óscares de 2023, revelou a Academia de Cinema dos Estados Unidos.