PremiumStar Wars: Um fazedor de milhões que é literalmente de outra galáxia

É já na próxima quinta-feira que chega aos cinemas portugueses “Star Wars:A Ascensão de Skywalker”, que encerra a tripla trilogia de ficção científica que George Lucas criou em 1977 e acompanhou todas as transformações tecnológicas e empresariais no “show business”. Mas aquilo que aconteceu há muito tempo, numa galáxia muito distante, continuará a animar a Disney.

Reza uma das lendas de Hollywood que uma só voz se fez ouvir em favor de “Star Wars: Uma Nova Esperança” quando George Lucas convidou alguns amigos realizadores para assistirem a uma versão inacabada do filme. A opinião dissonante foi de Steven Spielberg, que discerniu potencial de bilheteira onde os outros previam um desastre capaz de arruinar a carreira do cineasta norte-americano, alavancada no sucesso do exercício de nostalgia “American Graffiti: Nova Geração”, e a verdade é que a 20th Century Fox teve de incorrer em exercícios de persuasão nada amigável para algumas dezenas de salas de cinema dos Estados Unidos aceitarem estrear a 25 de maio de 1977 a longa-metragem que ofertou à cultura popular figuras tão icónicas quanto Luke Skywalker, Han Solo, Leia Organa, Obi-Wan Kenobi, Yoda e Darth Vader, aquele que abraçou o lado negro da Força.

O sucesso era tão incerto que poderia nunca ter dado origem à tripla trilogia cujo nono episódio, “Star Wars: A Ascensão de Skywalker”, chega aos cinemas portugueses na próxima quinta-feira, 19 de dezembro, um dia antes de estrear nos Estados Unidos – ainda que várias salas nacionais tenham sessões programadas para a noite de quarta-feira, algumas das quais com a lotação praticamente esgotada à hora de fecho desta edição.Tanto assim que nas primeiras cópias do filme de 1977, aquele que decorria “há muito tempo, numa galáxia muito distante”, não havia a célebre menção ao “Capítulo IV” que servia de pronúncio a pelo menos mais três filmes destinados a revelar a origem de Luke e Leia, a verdadeira natureza da relação entre os dois, e de ambos com o enorme guerreiro de voz ofegante e armadura negra que se dedicava a persegui-los através da galáxia.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

“Odisseia Nacional” do D. Maria II, um teatro em périplo pelo continente e ilhas

Durante 2023, o Teatro Nacional D. Maria II vai desenvolver um programa extramuros e levar a todas as regiões de Portugal continental e ilhas um vasto leque de iniciativas. Envolver públicos e comunidades na descentralização da cultura é um dos objetivos desta “Odisseia”, com início marcado para janeiro.

Botânico de Coimbra ganha jardim para se tocar, provar e cheirar as plantas

O Jardim Botânico da Universidade de Coimbra vai abrir, na segunda-feira, o “Jardim Sensorial”, um novo espaço no qual os visitantes serão desafiados a tocar, ver, provar e cheirar diferentes plantas.

Chico Buarque dá quatro espetáculos em Portugal no próximo ano

O cantor e escritor brasileiro Chico Buarque vai atuar em Portugal em 2023, com dois espetáculos no Campo Pequeno, em Lisboa, e outros dois no Super Bock Arena, no Porto, foi anunciado na quarta-feira.
Comentários