PremiumStartup de criptomoedas criada por português prestes a tornar-se banco nos EUA

O empreendedor Diogo Mónica prevê mais do que duplicar a equipa de engenharia no escritório do Porto e angariar financiamento de pelo menos mais 90 milhões de euros no próximo ano.

A startup luso-americana Anchorage prepara-se para se tornar na segunda empresa de criptomoedas a converter-se num banco nos Estados Unidos, depois da Kraken. Fundada em 2017 por Diogo Mónica e Nathan McCauley, a fintech faz custódia (proteção) de ativos digitais para ajudar as instituições financeiras a proteger investimentos e pertence à associação por detrás da Libra do Facebook – que entretanto mudou de nome para Diem. A empresa tem sede na Califórnia e escritórios em Dakota do Sul, Nova Iorque e Porto, para onde vai recrutar mais de uma dezena de engenheiros no próximo ano, segundo o presidente, um notório apaixonado pelos desafios de cibersegurança nos pagamentos.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Disney lança serviço de subscrição com publicidade a mais de 100 marcas

Os assinantes da Disney+ nos Estados Unidos têm, a partir desta quinta-feira, uma opção de televisão com anúncios entre os filmes e as séries.

Aeroporto de Lisboa. “Senhores políticos, simplesmente deixem que as obras avancem”, pede líder da APAVT

Pedro Costa Pereira, presidente da Associação Portuguesa da Agências de Viagens e Turismo deixou o apelo na abertura do congresso. “Não evitarão a vergonha, que se colou a todos os que contribuíram para a atual situação, mas pelo menos mitigarão as consequências deste processo tão trágico como ridículo”, afirmou.

Turismo. Programa Apoiar será reforçado com 70 milhões de euros a partir de 1 janeiro

A informação foi anunciada pelo novo secretário de Estado do Turismo, Nuno Fazenda, durante o 47.º Congresso da APAVT, no qual deu ainda conta de uma linha de 30 milhões de euros para dar resposta às microempresas para se financiarem no Turismo de Portugal.
Comentários