Startup portuguesa Advertio muda para Leadzai e financia-se em cinco milhões para reforçar equipa

A empresa fechou ainda com sucesso uma ronda de investimento no montante de 5 milhões de euros, liderada pela Lince Capital, “que vai permitir acelerar o desenvolvimento de produto e reforço da equipa”, refere a startup.

A startup portuguesa Advertio anuncia hoje o seu novo reposicionamento e passa agora a chamar-se Leadzai. A empresa fechou ainda com sucesso uma ronda de investimento no montante de 5 milhões de euros, liderada pela Lince Capital, “que vai permitir acelerar o desenvolvimento de produto e reforço da equipa”, refere a startup.

A Lince Capital é uma sociedade de capital de risco independente.

“A ronda de investimento vai-nos permitir expandir a nossa equipa técnica, tomando partido do talento único que existe em Portugal. Temos ambição de duplicar a nossa equipa até ao final de 2023. Paralelamente temos tido uma enorme aceitação do mercado internacional – que hoje representa mais de metade do volume de negócios mensal e que projetamos em dezembro atingir mais de 75%”, salienta João de Sousa Aroso, CEO da Leadzai.

Ao fim de cinco anos no mercado, a startup revela que o seu objetivo é aproximar-se do seu principal fator de diferenciação, “a mais fácil aquisição de clientes”.

A plataforma explica em comunicado que tem como missão ajudar duzentos milhões de negócios a crescerem sem risco, e que “cobra apenas aos seus clientes por resultados e não pelos habituais cliques”.

Para isso facilita o processo de qualquer negócio criar campanhas online, com o auxílio de um algoritmo de inteligência artificial que ajuda na escrita dos anúncios, bem como na escolha da melhor audiência.

De acordo com o CEO da Leadzai, João de Sousa Aroso, esta mudança acontece porque “queremos ser a referência no que diz respeito à aquisição de clientes e geração de leads e o nome Advertio começava a tornar-se demasiado restritivo, pelo que Leadzai faz todo o sentido no nosso produto atual, mas também no que temos pensado para o futuro”.

Apesar do reposicionamento, o responsável garante que “a base se mantém e que o objetivo continua a ser ajudar negócios a crescer online sem qualquer risco associado”.

“Neste sentido, a Leadzai pretende continuar a utilizar a última tecnologia no mercado, desde a inteligência artificial aos modelos de criação de conteúdo automático, para criar campanhas que permitam a todo o tipo de negócio adquirir novos clientes sem correr qualquer risco”, avança a empresa.

“Para atingir este objetivo, a Leadzai fechou com sucesso uma nova ronda de investimento de 5 milhões de euros liderada pela Lince Capital e apoiada pelos seus investidores anteriores, como a Portugal Ventures e o executivo internacional Luis Baptista-Coelho, que se juntou ao board da empresa em setembro de 2020”, revela a startup.

Este investimento junta-se aos 2,5 milhões de euros que a empresa tinha previamente angariado, “para acelerar a constante melhoria do produto e para reforçar a equipa que, neste momento, conta com perto de 50 colaboradores”.

“É com enorme orgulho que lideramos este investimento na Leadzai, que apresenta um forte potencial quer ao nível do seu produto, que está em constante desenvolvimento, como da sua equipa de gestão. Acreditamos no forte impacto positivo que continuará a ter nos negócios de várias empresas e queremos ajudar a Leadzai a liderar esse caminho”, afirma na nota Tomás Lavin Peixe, partner da Lince Capital.

A Portugal Ventures entrou no capital da Advertio, agora Leadzai, em 2019, e reforça agora o seu investimento através desta ronda. Teresa Fiúza, vice-Presidente da Portugal Ventures salienta que “o reforço da nossa posição, em co-investimento com a Lince Capital que agora se junta à Portugal Ventures no capital da empresa, evidencia o quanto os investidores acreditam na equipa liderada por João Aroso, em continuar a expandir para outros mercados o potencial do produto da Leadzai”.

“Para a Portugal Ventures é fundamental manter esta relação próxima e de confiança com a equipa e com os nossos co-investidores na Leadzai, para que juntos consigamos superar os desafios que se avizinham”, acrescenta a gestora.

O CEO da Leadzai, em comunicado, diz que o facto de “a Portugal Ventures ter decidido aumentar a sua exposição foi um grande voto de confiança numa altura em que o mercado está em contração e enviou o sinal certo sobre o que os nossos acionistas vêm hoje na Leadzai”.

Por último, “a Olisipo Way que nos acompanha desde a primeira ronda escolheu participar também numa ronda claramente atípica para um investidor early-stage o que reforça o nosso compromisso para com toda a base acionista que nos acompanha desde o início”, conclui.

 

 

Recomendadas

BNA levanta suspensão da participação no mercado cambial imposta ao Finibanco Angola

O Finibanco Angola tinha sido suspenso de participar no mercado cambial, por um período de 45 dias, pelo Banco Nacional de Angola (BNA), depois de o supervisor bancário angolano detectar incumprimentos durante uma inspecção pontual, em meados de agosto.

“Café com o CEO”. Assista à conversa com o Dr. Luís Teles, em direto a partir de Luanda

“Café com o CEO” é uma iniciativa promovida pela empresa angolana E.J.M, fundada por Edivaldo Machado em 2012, que procura dar a conhecer os líderes que estão a dar cartas em Angola e outros países da Lusofonia. Assista à sessão em direto de Luanda, capital angolana.

Rogério Carapuça: “Há que estar entre os primeiros, não ser o primeiro dos últimos”

O presidente da APDC considera que o desenvolvimento do sector das TIC se dá a um ritmo saudável apesar dos obstáculos concretos que ainda impedem o país de estar entre os melhores classificados. A capacitação e qualificação das pessoas e das empresas são desafios no topo da agenda, mas a simplificação é palavra de ordem para abandonar o paradigma da burocracia que assombra os serviços públicos, alerta Rogério Carapuça.
Comentários