PremiumSubida de juros aumenta custos de empresas com linhas de apoio do Estado

Recurso do Governo a linhas de crédito para apoiar empresas durante a pandemia é uma situação “potencialmente explosiva” face ao aumento dos juros. Empresas pedem travão, tal como nas rendas.

Depois de vários anos de política monetária ultra-acomodatícia e juros no zero, o actual ambiente de normalização significa um aumento dos custos com a dívida das empresas portuguesas, incluindo em várias linhas de apoio mobilizadas pelo Governo como resposta a sucessivas crises e calamidades. A Confederação Portuguesa das Micro, Pequenas e Médias Empresas (CPPME) fala numa “situação potencialmente explosiva” com mais este aumento de custos, o que leva a pedidos ao Governo de um travão à subida destas prestações e de renegociação dos créditos, um pouco como sucede na habitação.

A pandemia foi a situação mais notória, mas a tendência já vinha de trás, com os incêndios ou o furacão Leslie: a resposta estatal a várias crises e desastres naturais com fortes prejuízos para as empresas nacionais passou por linhas de crédito com garantia do Estado, fazendo proveito das taxas de referência a zero para financiar, de forma barata, a recuperação após um choque adverso inesperado

Leia o artigo na íntegra na edição do NOVO que está, este sábado, dia 12 de novembro, nas bancas.

Recomendadas

Adjudicados últimos seis lotes do concurso para fornecimento de serviços à rede SIRESP

O concurso para fornecimento de serviços à rede de emergência SIRESP foi concluído na segunda-feira, antes do prazo, com a adjudicação dos restantes seis lotes, anunciou hoje a empresa que gere o sistema.

Há um “caminho longo” a percorrer no envelhecimento ativo, diz a ministra da Coesão Territorial

“Sabemos hoje mais sobre as maleitas dos mais velhos e sabemos como as evitar”, sublinhou Ana Abrunhosa, reiterando que “todos queremos envelhecer com qualidade”.

Apoio às famílias pode mitigar desaceleração da economia, prevê Fórum para a Competitividade

O pacote de apoios preparado pelo Governo como resposta à inflação pode mitigar a desaceleração da economia, mas o próximo ano apresenta-se repleto de riscos de desafios. Salários reais devem voltar a cair, prevê o Fórum para a Competitividade.
Comentários