Suécia. Partido da primeira-ministra à frente em sondagem à boca da urna

Caso se concretizem estes resultados, os sociais-democratas melhorariam os seus resultados em um ponto em comparação com as últimas eleições, enquanto os democratas suecos aumentariam em três pontos e os moderados cairiam um ponto.

Magdalena Andersson

O Partido Social Democrata (S), da primeira-ministra sueca, Magdalena Andersson, obteve o maior número de votos nas eleições parlamentares de hoje com 29,3 por cento dos votos, de acordo com uma sondagem da televisão pública sueca STV.

O partido de extrema-direita Democratas Suecos (SD) ficaram em segundo lugar, com 20,5% dos votos, enquanto o Partido Moderado ficou com 18,8%, segundo a sondagem.

Os sociais-democratas melhorariam os seus resultados em um ponto em comparação com as últimas eleições, enquanto os democratas suecos aumentariam em três pontos e os moderados cairiam um ponto.

Em quarto lugar surge o Partido do Centro (7,7%), seguido pelo Partido da Esquerda (7%), o Partido Verde (5,8%), o Partido Democrático Cristão da Suécia (5,2%), e o Partido Liberal da Suécia (4,7%).

Nesta base, uma possível coligação de centro-esquerda teria ganho 49,8% dos votos, enquanto a opção da direita teria ganho 49,2%.

Em termos de mandatos, o centro-esquerda ganharia 176 assentos e a direita 173, de acordo com a projeção da STV.

As mortes em acertos de contas entre gangues criminosos – que se tornou um grave problema social – estão no topo das preocupações dos suecos, seguidas dos cuidados de saúde e da imigração, temas que favoreceram a subida do partido nacionalista e anti-imigração Democratas Suecos, até há poucos anos isolado na cena política do país escandinavo.

Recomendadas

João Cotrim de Figueiredo no regresso do Clube dos Pensadores

Líder do Iniciativa Liberal está no Porto para o regresso do Clube dos Pensadores, um grupo de debate enraizado na sociedade civil por onde já passaram quase todos os líderes políticos nacionais.

Ministro da Saúde quer reinício das negociações com sindicatos ainda em outubro

O ministro da Saúde, Manuel Pizarro, disse hoje em Coimbra que o regresso às negociações com os sindicatos dos médicos e enfermeiros “de outubro não passará”.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta segunda-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta segunda-feira.
Comentários