“Suor Frio”: 1ª Bienal de Joalharia Contemporânea

A joalharia mostra a sua garra e criatividade na 1ª edição da Bienal de Joalharia Contemporânea da cidade de Lisboa, com exposições, colóquios e masterclasses. Até 20 de novembro em vários espaços da capital.

© 1ª Bienal Joalharia Contemporânea Lisboa

Marylin Monroe cantava “Diamonds are Girls Best Friends”. Os tempos mudaram e a pandemia trouxe novos olhares e vontade de enfrentar os medos a que a Humanidade esteve exposta. Corpo, Medo e Proteção são assim os eixos sobre os quais assenta o tema da 1ª Bienal de Joalharia Contemporânea da cidade de Lisboa, “Suor Frio”. Um iniciativa que vai além da joalharia contemporânea, integrando ainda performance, escultura, fotografia e filme em diálogo com o espaço e obras da Igreja e do Museu de São Roque e do Museu da Farmácia, os dois principais núcleos deste projeto expositivo.

Entre os artistas que ocupam estes espaços, destaque para a nova escultura Lázaro, de Rui Chafes, e para a fotografia Hoje. Nada II, de Daniel Blaufuks, que estabelece diálogo com a exposição dos colares Preservation e Shielding, de Caroline Broahead, e ainda Olga Noronha, que apresenta um dos vestidos da série “Hora Suave”.

O artista holandês Ted Noten, mostra a instalação I Wanna Swap Your Ring?, que representa de um revólver criado a partir de 500 anéis. Uma intervenção que convida o público a substituir cada um deles por um objeto pessoal para, num “work in progress”, reconfigurar a peça de arte.

Sábado 18 de setembro, tem lugar o colóquio “Proteção”, entre as 10h00 e as 13h00, no qual serão abordados temas como “Máscara, proteção e elegância”, por Denis Bruna (França), “Relíquias e objetos de proteção no património do Museu de São Roque”, por Teresa Morna (Portugal), que contará com a moderação de Kirstin Kennedy (Reino Unido).

No âmbito das parcerias criadas para esta Bienal, aquela que reúne o Museu do Design e da Moda (MUDE) e a Sociedade Nacional e Belas-Artes (SNBA) deu origem à Oitavas de oficina, uma exposição antológica da obra de joalharia do escultor José Aurélio. São mais de 150 peças de joalharia e ainda algumas esculturas do artista, numa celebração da sua expressividade e simbolismo. A exposição tem curadoria de Laura Castro e pode ser vista até 22 de setembro.

Entre os dias 07 e 08 de outubro, também na Igreja de São Roque, estará exposta a Coroa de Nossa Senhora de Fátima, que hoje serve também como relicário à bala que atingiu o Papa João Paulo II no Vaticano, em 1981. No primeiro dia, terá lugar um colóquio dedicado à história deste objeto, que conta com a participação do Santuário e da casa criadora da peça.

A Bienal de Joalharia Contemporânea de Lisboa tem ainda apresentações na Sociedade Nacional de Belas Artes, onde está patente uma Jewellery Room, composta por projetos internacionais, e também nas galerias Tereza Seabra, Teresa Lacerda, Reverso, Sá da Costa e no Instituto Cultural Romeno.

Com curadoria de Cristina Filipe e direção artística da Associação Portuguesa de Joalharia Contemporânea (PIN), a Bienal de Joalharia Contemporânea de Lisboa propõe-lhe conhecer muitos mais artistas e propostas. Consulte o programa no site da Bienal e trace o seu próprio itinerário por Lisboa para desbravar as temáticas “corpo”, “medo” e “proteção”. Pode assistir presencialmente aos colóquios e masterclasses na Brotéria, em Lisboa, ou, online mediante inscrição no site do evento.

O evento encerra no dia 20 de novembro com uma palestra da antropóloga Filomena Silvano, e o lançamento do catálogo “Suor Frio”, que conta com a participação de Bárbara Coutinho, Cristina Filipe, Teresa Morna e João Norton de Matos, e a moderação de Marta Costa Reis.

Recomendadas

PremiumPara saudar o regresso de um majestoso Jaen

Serve este texto para saudar a aposta de um produtor do Dão, a Caminhos Cruzados, integrada há cerca de dois anos no grupo da Quinta da Pacheca (no Douro), na comercialização de um monovarietal de uma das castas mais singulares que se produzem em Portugal: a Jaen (Mencia, em Espanha). Há quem diga que em relação à Jaen, ou se ama ou se detesta.

PremiumFada ou bruxa? Uma duquesa que incomoda muita gente

Valentine Low relata que uma das funcionáriasque trabalhava para Meghan foi agredida verbalmente “sem razão aparente” pela duquesa poucos dias antes do casamento

Premium1828, a revolução das carnes

Provavelmente, estas são as melhores carnes do mundo e podem ser degustadas no Steak house 1828, um dos 12 espaços de restauração que constituem a oferta gastronómica diversificada do WOW – World of Wine, em Vila Nova de Gaia.
Comentários