Super Bock Group investe 17 milhões na neutralidade carbónica

Prioridade é a descarbonização da fábrica de cervejas em Leça do Balio, que será alcançada ainda em 2028. Empresa quer criar Comunidade de Energia em Matosinhos.

O Super Bock Group, que detém, entre outras, a marca de cerveja com o mesmo nome e a água das Pedras, está à proceder à instalação de 28 mil painéis solares em todas as unidades do grupo, ou seja, uma área total próxima dos 60.500 m2, referiu o grupo escandinavo em comunicado.

Segundo a Super Bock, a instalação dos painéis vai permitir “reduzir as emissões em mais de três mil toneladas de CO2 por ano. Estes painéis solares vão ficar maioritariamente instalados em Matosinhos (Leça do Balio), concelho onde a empresa tem a sua sede e a fábrica de cervejas, que já é best in class nos domínios da eficiência energética”.

Este é um dos projetos que faz parte do Roteiro para a Descarbonização do Super Bock Group “que irá permitir à empresa atingir a neutralidade (scope 1 e scope 2), primeiro, na sua fábrica de cervejas, já em 2028, e nas restantes unidades do Grupo (Pedras Salgadas, Vidago, Castelo de Vide e Envendos), em 2030”.

O Roteiro para a Descarbonização prevê o investimento de cerca de 17 milhões de euros até 2028/30, incluindo candidaturas ao PRR, que visem, entre outros, substituir o gás natural como fonte de energia e, assim, reduzir as emissões de CO2 do grupo, informa o comunicado. “Integra a estratégia de Sustentabilidade (critérios ESG), permitindo ao Super Bock Group apoiar a transição energética e contribuir para o cumprimento dos ODS das Nações Unidas (ODS 7 e 13)”.

Por outro lado, com a fase I do projeto dedicado à energia solar concluída até ao final de 2022, com a instalação de 4.129 painéis solares na fábrica em Leça do Balio e no Centro de Produção em Pedras Salgadas, a empresa prevê arrancar com a segunda e última fase já no início de 2023, em função dos licenciamentos necessários.

O maior investimento da fase II será feito em terrenos contíguos à fábrica em Leça do Balio. É aí que vai nascer aquele que será um dos maiores projetos de implementação de energia solar numa cervejeira: aproximadamente 24 mil painéis solares, ou seja, o equivalente a 5 campos de futebol completamente preenchidos.

“Será, portanto, um projeto com impacto significativo em Matosinhos, que tem também em curso políticas e soluções para o concelho alcançar a neutralidade carbónica em 2030, e para o qual conta com o apoio das empresas locais nesta matéria da Sustentabilidade. Desta forma, o Super Bock Group reforça o seu compromisso com a autarquia e com a comunidade local”.

No seu conjunto, estes painéis solares que vão ser instalados, pelo Super Bock Group em Matosinhos (fábrica e terrenos contíguos) vão produzir 13,5GWh/ano, sendo que apenas 62% desta energia será autoconsumida pela fábrica do Super Bock Group para a sua operação nas Cervejas.

A parte excedentária, cerca de 5GWh/ano, vai ser direcionada para a criação de uma Comunidade de Energia em Matosinhos, num raio inferior a 4 km da fábrica do Super Bock Group, no equivalente ao consumo anual de mil habitações familiares.

“Esta comunidade de energia é uma das formas do Super Bock Group compensar as suas emissões de gases com efeito de estufa, vindo juntar-se a outros projetos como o que a empresa tem a decorrer em Pedras Salgadas”. “O grande projeto de reflorestação, com o apoio da ANP|WWF, para expandir o atual espaço arbóreo de 20 hectares do Pedras Salgadas SPA & Nature Park para os 26,3 hectares inclui o restauro ecológico dos terrenos, tendo por base uma lógica agroflorestal para recuperação dos solos, o aumento da capacidade de retenção de água, e com potencial para sequestrar anualmente entre 25 e 69 tonCO2/ano”.

O Roteiro para a Descarbonização do Super Bock Group, com foco no investimento em energia solar, foi apresentado, pelo CEO da empresa, Rui Lopes Ferreira, durante o lançamento oficial do programa Matosinhos Neutralidade Carbónica 2030, que contou com a presença da presidente da câmara de Matosinhos, Luísa Salgueiro, e o ministro do Ambiente e da Ação Climática, Duarte Cordeiro.

 

Recomendadas

Implementação do Metro do Porto foi “processo de catequização”

O administrador dos Transportes Intermodais do Porto (TIP), Manuel Paulo Teixeira, disse à Lusa que a equipa que lançou o Metro do Porto, da qual fez parte, fez “um processo de catequização” para convencer pessoas, autarcas a instituições.

Amazon planeia gastar 95 milhões de euros por ano em publicidade no Twitter

Este valor faz parte da estratégia da retalhista online no regresso à publicidade na rede social agora liderada por Elon Musk, mas está ainda dependente de alguns “ajustes de segurança” na plataforma de anúncios do Twitter.

Comércio online representou 22% de todo o comércio na Black Friday

As compras por MB Way dispararam face a 2019, com uma subida de 1.730%, de acordo com os dados divulgados pelo Forward Payment Solutions (SIBS).
Comentários