Swiss regressa aos lucros no primeiro semestre com 67 milhões de euros

A Swiss, principal companhia aérea suíça e subsidiária da Lufthansa, obteve lucros de 67 milhões de francos suíços (67 milhões de euros) no primeiro semestre, marcando um regresso a números positivos, depois de dois anos de perdas devido à pandemia. Num comunicado hoje divulgado, a Swiss refere que registou receitas de 1.800 milhões de francos […]

A Swiss, principal companhia aérea suíça e subsidiária da Lufthansa, obteve lucros de 67 milhões de francos suíços (67 milhões de euros) no primeiro semestre, marcando um regresso a números positivos, depois de dois anos de perdas devido à pandemia.

Num comunicado hoje divulgado, a Swiss refere que registou receitas de 1.800 milhões de francos suíços (cerca de 1.840 milhões de euros) no primeiro semestre, mais do dobro das verificadas no mesmo período em 2021, e prevê que também poderão encerrar o ano com um lucro líquido apesar dos receios de um abrandamento económico global.

A simplificação das reservas e a reestruturação das atividades da companhia aérea contribuíram para o regresso ‘ao verde’, disse a Swiss num comunicado, acrescentando que transportou 5,3 milhões de passageiros entre janeiro e junho, cinco vezes mais do que na primeira metade do ano passado.

Os aumentos dos custos de combustível foram parcialmente compensados por um forte aumento das viagens e preços mais elevados dos bilhetes, disse a transportadora de bandeira suíça, observando que o início do ano foi ensombrado pela onda da variante Ómicron no início do ano, mas foi rapidamente ultrapassada.

“Estamos satisfeitos por termos regressado ao lucro, e por o termos feito apesar das nossas capacidades ainda estarem reduzidas”, resumiu o presidente executivo da Swiss, Markus Binkert, no relatório semestral.

A Swiss comunicou perdas de 654 milhões de francos em 2020 (680 milhões de dólares, 670 milhões de euros), um ano em que os confinamentos e quarentenas paralisaram o tráfego aéreo durante semanas e o limitaram durante meses, e de 427 milhões de francos (436 milhões de euros) em 2021.

Devido a estes números negativos, a empresa reduziu a frota em 15% e diminuiu centenas de empregos a tempo inteiro.

Recomendadas

PremiumGestores bancários sem tarimba a gerir períodos inflacionários

Estudo sobre o sector bancário europeu feito pela consultora estratégica Oliver Wyman considera que as instituições financeiras podem não estar preparadas para os impactos do aumento da inflação e do abrandamento da economia na atividade.

Alojamento local em expansão no Douro ajuda a diversificar oferta turística

O alojamento local no Douro está em expansão e contribui para a diversificação da oferta turística neste território, existindo atualmente 714 unidades em atividade.

TAP nega acusação do sindicato dos pilotos e diz que gasta menos com alugueres face a 2018 e 2019

O Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) acusou, esta quarta-feira, a gestão da TAP de “desperdiçar” as receitas do verão com “milhões de erros” ao longo do ano, como a contratação externa de serviços.
Comentários