Symington entra no capital da Caves Transmontanas

Compra de 50% do capital da produtora do espumante Vértice, talvez a marca mais afamada da empresa, resulta de uma vontade antiga da Symington em assegurar um lugar na área dos espumantes.

O grupo Symington Family Estates Vinhos acaba de anunciar que entrou no capital da Caves Transmontanas – empresa que surgiu na década de 1980 – da qual tomou 50% do capital e onde se propõe agora investir “para promover a expansão do negócio”.

Há muito que a Symington “vinha considerando a possibilidade de investir no negócio dos vinhos espumantes portugueses, onde reconhece existir um elevado potencial de valorização e de ganho reputacional”, refere o grupo em comunicado oficial.

A entrada de umas das maiores empresas de vinhos do país na Caves Transmontanas dar-se-á através de um aumento de capital, “o que permitirá criar o suporte financeiro necessário para promover a expansão do seu negócio e o investimento em ativos que lhe permitam continuar a trilhar um caminho de excelência”, refere ainda o comunicado.

O grupo refere ainda que “será nomeado um novo conselho de gerência que assegurará a continuidade da gestão independente deste negócio.

Os Symington são produtores de vinho do Porto no norte de Portugal desde 1882. Graham’s, Cockburn’s, Dow’s e Warre’s (nos Vinhos do Porto) e Quinta do Vesúvio, Quinta do Ataíde, Altano e Prats & Symington (Chryseia), além do novo projeto da Quinta da Fonte Souto no Alto Alentejo (nos vinhos de mesa) são alguns dos seus principais ativos. A família é a principal proprietária de vinhas no Douro, com 26 quintas a perfazer 2.420 hectares, dos quais 1.114 de vinha. “As vinhas são geridas sob princípios de sustentabilidade, e 130 hectares têm certificação biológica”, rara, “a maior área de vinha biológica no Douro”.

O grupo tem efetuado investimentos significativos em investigação na viticultura “para adaptação às alterações climáticas e promove um ambicioso plano de sustentabilidade denominado ‘Missão 2025’, que integra um conjunto de metas”. Em 2019, a empresa alcançou a certificação B Corporation, a primeira empresa de vinhos em Portugal a dar esse passo, “juntando-se a uma comunidade global empresarial auditada segundo os mais elevados padrões de responsabilidade social e ambiental”.

Recomendadas

Supremo decide a favor de sindicato e TAP terá de pagar 50 milhões

O Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) confirmou esta sexta-feira que foi notificado pelo Supremo Tribunal de Justiça (STJ), que decidiu a seu favor numa ação judicial que custará mais de 50 milhões de euros à TAP.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta sexta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta sexta-feira.

Escassez de trabalhadores no turismo? AHRESP apresenta nove medidas para resolver o problema

Desde a criação de estratégias criativas para atrair e reter profissionais à elaboração de um ‘Livro Verde do Mercado do Trabalho HORECA’, conheça as medidas apresentadas pela Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal.
Comentários