TAP. Conselho de administração e comissão executiva vão ter corte salarial de 30%

Os órgãos sociais da TAP contam com um total de 11 membros, incluindo o presidente do conselho de administração, Miguel Frasquilho, e o presidente executivo interino, Ramiro Sequeira.

Os membros dos órgãos sociais da TAP vão ter um corte salarial de 30%, disse hoje o ministro das Infraestruturas.

“Os órgãos sociais vão ter um corte superior a qualquer trabalhador, vão ter um corte de 30%”, afirmou hoje Pedro Nuno Santos no Parlamento.

“Obviamente não podiam deixar também de passar por este esforço que é pedido a toda a companhia, e é pedido um peso maior aos trabalhadores mais bem pagos da companhia, 30%”, sublinhou o ministro durante a sua audição na comissão parlamentar de economia em resposta à deputada Inês de Sousa Real do PAN.

Os órgãos sociais da TAP incluem o conselho de administração e a comissão executiva. O conselho de administração conta com 11 membros, incluindo os três da comissão executiva. O conselho de administração da TAP é presidido por Miguel Frasquilho, com a comissão executiva a ser liderada interinamente por Ramiro Sequeira.

Segundo o plano de reestruturação da TAP, os trabalhadores com salários até 900 euros não sofrem cortes salariais. A partir daqui, começa um corte progressivo, com os trabalhadores a ganharem mil euros a terem um corte de 2,5%. Já os salários acima de dez mil euros têm um corte de 25%.

Relacionadas
João Gonçalves Pereira

TAP. CDS ameaça recorrer à comissão de acesso a documentos para Parlamento ter acesso a plano de reestruturação

Pedro Nuno Santos não quer entregar o plano porque faz um “strip tease” da TAP, contendo informação sensível, mas CDS ameaça recorrer à CADA para o Parlamento obter o documento.

TAP. Ministro diz que salário dos tripulantes é entre 2% a 90% mais alto face aos pagos na Air France, British Airways ou Iberia

Pedro Nuno Santos apontou que a TAP tem mais 19,5% de pilotos e 28% de tripulantes face a duas das suas principais concorrentes: Iberia e Air Europa.

Governo diz que TAP deve continuar a ser “líder na ligação da Europa ao Brasil” e manter crescimento para os Estados Unidos

O ministro das Infraestruturas voltou a defender a aposta na Portugália e no reforço da sua frota, cujos aviões são mais pequenos face aos da TAP.
TAP Portugal

TAP. PSD critica Governo por não entregar plano de reestruturação no Parlamento

O deputado Cristóvão Norte criticou hoje Pedro Nuno Santos por não revelar o documento aos deputados da comissão de economia. Em resposta, o ministro disse que o plano contém “matéria da máxima sensibilidade para a TAP e para todos os seus concorrentes”.

Frasquilho: Plano de reestruturação da TAP é a “condição para salvar sete mil postos de trabalho”

Em entrevista à TVI 24, o chairman da companhia aérea espera que a Comissão Europeia conclua a sua avaliação no primeiro trimestre de 2021. O grupo TAP contava com quase 11 mil trabalhadores no final de 2019.
TAP Portugal

TAP. Sindicato quer saber qual a redução de custos prevista para as “negociatas dos leasings”

SITAVA aponta que os custos com o pessoal “são apenas uma parcela e nem sequer a maior” e quer saber o que pretende o conselho de administração e o Governo fazer em relação às “negociatas dos leasings, dos combustíveis, das taxas e comissões, dos fornecimentos externos e tantos outros”.
Recomendadas

Fitch Rating antecipa ano desastroso para o sector imobiliário

Os países que preferiram as taxas variáveis e permitiram um forte aumento do preço das casas estão especialmente vulneráveis à inflação e à queda da procura. Portugal não faz parte do estudo, mas tem tudo para fazer parte do pior cenário.

Revolut nomeia Elisabet Girvent para responsável de vendas em Espanha e Portugal

O seu objetivo passa por continuar a expandir os serviços da Revolut Business na região. A Revolut Business é o serviço bancário empresarial da Revolut. Esta solução encontra-se em funcionamento desde 2017 e foi concebida para atender às necessidades de start-ups, PME familiares e grandes empresas tecnológicas.

Noção de mercados emergentes na banca está morta, diz Mckinsey. Ásia concentra crescimento

Os bancos na Ásia-Pacífico podem ganhar com uma perspectiva macroeconómica mais forte, enquanto que os bancos europeus enfrentam uma perspectiva mais sombria. “No caso de uma longa recessão, estimamos que a rendibilidade dos bancos a nível mundial possa cair para 7% até 2026 e para baixo dos 6% nos bancos europeus”, diz a Mckinsey.
Comentários