TAP e Azul parceiras em voos para o Brasil

A TAP e a Azul firmaram uma parceria de code share. A partir de 10 de dezembro, a companhia aérea portuguesa vai passar a oferecer novos serviços para mais de 20 destinos no Brasil.

A TAP firmou uma parceria com a Azul, empresa de David Neeleman, para disponibilizar mais voos e novos destinos para o Brasil.
De acordo com comunicado da empresa, a partir de 10 de dezembro, a companhia aérea vai passar a oferecer novos serviços para mais de 20 destinos no Brasil.
Um dos donos da Azul, David Neeleman integra também o consórcio que adquiriu a TAP. Deste modo David Neeleman vai agora trabalhar com a TAP no Brasil com o objetivo de alargar a rede para destinos como Curitiba, Florianópolis, Maceió ou Vitória.

Os passageiros já podem adquirir bilhetes para estes destinos apesar das rotas só serem disponibilizadas a 10 de dezembro. A TAP irá começar a apresentar voos identificados com o seu próprio código para os destinos brasileiros agora adicionados.

“Num mercado com a importância e dimensão continental do Brasil, em que a TAP tem apostado fortemente em termos de melhor penetração e abrangência geográfica, este acordo de code share com a Azul aumenta consideravelmente a diversidade e atractividade das opções colocadas à disposição dos nossos clientes, alargando e consolidando a já vasta rede de destinos da TAP no Brasil”, referiu José Guedes Dias, director de alianças e relações externas da TAP, citado pelo comunicado.

A Azul passa também a disponibilizar serviços identificados com o seu código em voos entre os 12 pontos de entrada servidos no Brasil e Portugal.

OJE

Recomendadas

Saídas de capital do Credit Suisse quase estancadas e já se nota regresso de depositantes de elevado património

O banco deverá ter perdido cerca de 10% dos fundos depositados na operação de gestão de ativos, devido a desconfianças dos clientes relativamente à solvabilidade da instituição.

EDP procura startups mais inovadoras na área da energia

Elétrica lança a 7ª edição do Free Electrons em busca de startups inovadoras. Candidaturas decorrem até 28 de janeiro.

Mitos que bloqueiam progressão feminina e dificultam diversidade de género nas empresas

Relatório da Mazars e Gender Balance Observatory desmistifica mitos em contexto laboral, entre os quais a falta de ambição e a aversão ao risco entre as mulheres, a questão da maternidade ou das quotas e a meritocracia.