TAP fez 42 voos de serviços mínimos esta manhã

A companhia diz que, até às 11h30, operou os 78 voos dos 148 voos previstos para hoje e, dos 64 voos de serviços mínimos agendados, operou os 42 estabelecidos, no contexto da greve convocada pelo Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil.

A TAP informou esta quinta-feira que, até às 11h30, operou os 78 voos dos 148 voos previstos para hoje e, dos 64 voos de serviços mínimos agendados, operou os 42 estabelecidos, no contexto da greve convocada pelo Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) para os dias 8 e 9 de dezembro.

A companhia aérea portuguesa esclarece que só houve um voo de ida-e-volta para a Guiné-Bissau que foi cancelado, mas o motivo da supressão foi a falta de passageiros e não a paralisação dos tripulantes de cabina. Em relação a amanhã, foi cancelado um para a Praia pela mesma razão.

“A TAP lamenta profundamente a situação, que prejudica os clientes, a companhia e o país e continua, como sempre, disponível para negociar com o SNPVAC, bom como com todos os sindicatos. A TAP aceitou nove das 14 propostas do sindicato e pediu que a sua Assembleia-Geral fosse antecipada para evitar o impacto na operação da companhia”, ressalva a empresa, em comunicado divulgado esta manhã.

A transportadora aérea, que está a operar com serviços mínimos decretados pelo tribunal arbitral e pelos parceiros, recorda ainda que o aviso de greve dos tripulantes levou a TAP a cancelar 360 voos e a pedir aos visados, atempadamente, para que remarcassem os seus voos.

“A TAP pede desculpas a todos os passageiros por esta situação e assegura que tudo está a fazer para minimizar o seu impacto e agradece o profissionalismo de todos os tripulantes de cabina incluídos nos serviços mínimos, bem como os esforços de todos os trabalhadores da TAP envolvidos nesta operação”, conclui a companhia liderada por Christine Ourmières-Widener.

O SNPVAC diz que a adesão ao primeiro dia de greve foi total, até às 08h30, tendo apenas partido voos de serviços mínimos ou da Portugália. “O balanço é prematuro, uma operação da TAP inicia-se por volta das 05:30 da manhã, o que sabemos até à data é que nenhum voo saiu sem ser serviços mínimos ou Portugália, portanto até agora a adesão é total”, disse à agência Lusa o presidente do SNPVAC, Ricardo Penarroias, no aeroporto de Lisboa.

Relacionadas

TAP: Sindicato fala em adesão total à greve de tripulantes até às 08:30

“O balanço é prematuro, uma operação da TAP inicia-se por volta das 05:30 da manhã, o que sabemos até à data é que nenhum voo saiu sem ser serviços mínimos ou Portugália, portanto até agora a adesão é total”, disse à Lusa o presidente do SNPVAC, Ricardo Penarroias, no aeroporto de Lisboa, cuja operação, às primeiras horas da manhã, funcionava dentro da normalidade.

Greve na TAP. “Não vemos qualquer perturbação hoje a afectar os nossos clientes”, diz CEO

A TAP enfrenta hoje o primeiro de dois dias de greve convocada pelo sindicato dos tripulantes de cabine SNPVAC. Em entrevista ao Jornal Económico (que sairá na íntegra na edição de sexta-feira), a CEO da companhia, a francesa Christine Ourmiere-Widemer, diz que os clientes não estão a ser afetados pela paralisação.
Recomendadas

PremiumContrato que prevê bónus milionário da CEO da TAP não é válido

JE revela contrato de Christine Ourmières-Widener: prevê exercício de funções até 2026 e bónus de até três milhões de euros. Mas não chegou a ser ratificado em AG da TAP.

PremiumLeia aqui o Jornal Económico desta semana

Esta sexta-feira está nas bancas de todo o país a edição semanal do Jornal Económico. Leia tudo na plataforma JE Leitor. Aproveite as nossas ofertas para assinar o JE e apoie o jornalismo independente.

Contrato da CEO da TAP: “Não é só falta de retificação, é falta de aprovação”

O advogado Rogério Alves reagiu à notícia avançada pelo Jornal Económico. O contrato de Christine Ourmières-Widener com a TAP não só não foi retificado em AG como não foi aprovado. “Isto politicamente tem um custo”, diz.
Comentários