TAP. Há uma “incapacidade crónica” do Governo lidar com a verdade, diz PSD

Em causa está o facto de o ex-ministro Pedro Nuno Santos ter admitido esta sexta-feira que autorizou a indemnização paga a Alexandra Reis.

Vice-presidente da Câmara Municipal de Cascais e ex-candidato à liderança do PSD, Miguel Pinto Luz | Foto de Cristina Bernardo

O vice-presidente do PSD Miguel Pinto Luz disse que as declarações do ex-ministro Pedro Nuno Santos sobre a TAP mostram que o Governo tem problemas de comunicação internos e uma “incapacidade crónica de lidar bem com a verdade”.

“Urge-se clarificar toda esta situação da TAP. Mas mais importante do que resolver o problema da TAP é resolver uma questão interna dentro deste governo, que é a incapacidade crónica de lidar bem com a verdade e incapacidade crónica de conviver com o escrutínio saudável em democracia”, referiu Miguel Pinto Luz em declarações à agência Lusa.

O ex-ministro das Infraestruturas e Habitação, Pedro Nuno Santos, confirmou hoje que deu “anuência política” para saída da TAP de Alexandra Reis, acrescentando que foi informado “do valor final do acordo” entre as partes.

Para o dirigente do PSD, estes novos dados “são graves”, lembrando que quando o ministro Pedro Nuno Santos nomeou Alexandra Reis para a presidência da Navegação Aérea de Portugal (NAV) “sabia da indemnização” de 500.000 euros.

“Portanto, sabendo da indemnização, nomeando para a NAV informou ou não as Finanças nessa altura da indemnização? É mais um dado relevantíssimo para toda a análise neste processo”, vincou Miguel Pinto Luz.

Para o vice-presidente dos sociais-democratas, os esclarecimentos prestados hoje por Pedro Nuno Santos são “uma confirmação de que não há comunicação dentro do governo”.

“O governo vive bem com a verdade que é às fatias, aos bochechos, a pouco e pouco, que vai encontrando verdades dentro das inverdades e encontra mais inverdades. É uma postura recorrente do governo”, sublinhou ainda.

Questionado sobre o impacto que as recentes informações podem ter na comissão de inquérito à gestão da TAP, Miguel Pinto Luz salientou que o PSD “não anseia” os problemas da companhia área portuguesa.

“Agora, tendo já este histórico da verdade vir por camadas, esperamos que nesta comissão de inquérito se possa de uma vez por todas colocar a nu toda a verdade”, acrescentou.

Pedro Nuno Santos esclareceu que afinal havia sido informado da indemnização da TAP paga a Alexandra Reis assumindo que autorizou o pagamento da mesma. O ex-governante afirma ter encontrado esta quinta-feira uma comunicação da qual não tinha memória e que aborda a compensação a ser paga à então administradora da companhia aérea.

O antigo ministro das Infraestruturas e Habitação, que se demitiu na sequência precisamente do caso da indemnização paga à então recém-nomeada secretária de Estado do Tesouro, Alexandra Reis, aquando da sua saída da TAP, admite que foi num exercício de tentativa de “reconstruir a fita do tempo” que se deparou com uma comunicação informal com a sua chefe de gabinete e o secretário de Estado Hugo Mendes.

Relacionadas

Pedro Nuno Santos admite que autorizou indemnização paga a Alexandra Reis

O antigo ministro reconheceu ter encontrado esta quinta-feira, num exercício de “reconstrução da fita do tempo”, uma comunicação com o secretário de Estado Hugo Mendes e a sua chefe de gabinete no qual foi informado que não seria possível reduzir o montante a pagar à administradora da TAP.
Recomendadas

Coverflex arrecada 15 milhões e expande-se até Itália

Além da aposta no mercado italiano, um com a taxa de transações mais elevada da Europa, a Coverflex vai também expandir a equipa para mais de 150 trabalhadores.

Premier League pulveriza ligas europeias ao atingir novo recorde (com a ajuda de Enzo e Porro)

Só o Chelsea gastou mais dinheiro em janeiro do que todos os clubes na Bundesliga, La Liga, Serie A e Ligue 1.

Tecnológicas em apuros. PayPal anuncia despedimentos e Intel reduz salários

PayPal e Intel não resistiram à onda de despedimentos e cortes de salários que tem assolado as tecnológicas com grande preponderância desde o início do ano. Se janeiro levou quase 70 mil empregos no setor tecnológico, fevereiro deverá seguir a mesma tendência.
Comentários